WEBMAIL

42º Encontro de Zeladoras de Capelinhas reúne cerca de mil pessoas em Caxias

Atividade, no Seminário Diocesano Nossa Senhora Aparecida, refletiu o tema: “Com a Mãe Aparecida, reconstruir a esperança”, e contou com a presença de lideranças das sete regiões de pastoral da Diocese de Caxias do Sul.

Tradicionalmente, o dia 12 de outubro é marcado pela realização do Encontro de Zeladoras e Zeladores de Capelinhas da Diocese de Caxias do Sul. Após dois anos sendo realizado com público reduzido, nesta quarta-feira, quando a Igreja celebra a solenidade de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, 1 mil pessoas se reuniram no Seminário Diocesano Nossa Senhora Aparecida, em Caxias.

O dia de encontro teve a presença dos seminaristas da Diocese de Caxias do Sul, uma vez que a missão das Zeladoras é também rezar pelos vocacionados. Além disso, o valor colocado no cofre de cada Capelinha é destinado a manter a obra das vocações, com a formação dos futuros padres. Seminaristas da Diocese de Montenegro, com quem residem os jovens que estudam Teologia, também participaram do evento.

A atividade refletiu o tema: “Com a Mãe Aparecida, reconstruir a esperança”, e contou com a presença de lideranças das sete regiões de pastoral da Diocese de Caxias do Sul. Após o momento de acolhida dos participantes, aconteceu a entronização da imagem de Nossa Senhora Aparecida, trazida do Santuário Nacional na inauguração do prédio, em 1939.

O momento de reflexão foi assessorado pelo coordenador da Pastoral Vocacional na Diocese e reitor do Seminário Maior São José, padre Marciano Guerra e pela Pastorinha, irmã Suzimara Barbosa de Almeida. Durante a partilha, cada Zeladora foi convidada a pensar e rezar sobre o que, em sua vida, na vida de sua comunidade e da Igreja precisa ter a esperança renovada.

O ponto alto do 42º Encontro de Zeladoras e Zeladores de Capelinhas da Diocese de Caxias do Sul foi a Missa solene. A Eucaristia foi presidida pelo bispo diocesano, Dom José Gislon, e concelebrada por diversos sacerdotes que atuam nas paróquias da Diocese. Em sua homilia, Dom José ressaltou a figura de Maria como a portadora da esperança. “A Igreja, que é Mãe e Mestra, nos convida a meditar sobre os primeiros passos de Jesus em sua missão, com seu primeiro sinal, em Caná. E Maria está presente em Caná como sinal de esperança e exerce papel fundamental na missão de seu Filho. Ela se põe como intermediária entre Deus e os homens em suas dificuldades e sofrimentos”.

O bispo pediu a intercessão de Nossa Senhora Aparecida pelo Brasil, de quem é rainha e padroeira. “Coloquemos diante de Nossa Senhora Aparecida as esperanças do povo brasileiro, que vive seus desafios. Nas mãos de Maria, entreguemos nossas zeladoras, que são missionárias das vocações e diante do Pai que é misericordioso, apresentemos a vida de nossas crianças, sobretudo aquelas mais pobres”, pontuou Dom Gislon.

Durante a Missa, o seminarista Luciano Dalmolin, que está na etapa da Configuração, também chamada de Teologia, recebeu o ministério de acólito. Este, que é mais um passo tendo em vista o Sacramento da Ordem, tem sua característica pelo serviço ao altar e na distribuição da Eucaristia nas celebrações.O almoço do encontro, realizado de forma partilhada com os alimentos que cada participante ofereceu, aconteceu antes da oração do Terço. No início da tarde, um grupo de Zeladoras da Paróquia São Ciro, em Caxias do Sul, ofereceram rosas a Maria em cada uma das Ave-Marias que era rezada.

A 42ª edição do Encontro de Zeladoras e Zeladores de Capelinhas da Diocese de Caxias do Sul foi concluído com a bênção de envio. Dom José Gislon abençoou as Zeladoras e as enviou para a missão.

Com informações da Diocese de Caxias do Sul