Artigos › 21/10/2017

A missão no coração da fé cristã

  Dom Adelar Baruffi – Bispo de Cruz Alta

Para a ocasião do Dia Mundial das Missões, 22 de outubro, o Papa Francisco enviou sua mensagem, como é de costume todos os anos. Ela vem nos recordar o óbvio: a missão está no coração da fé cristã. “De fato a Igreja é, por sua natureza, missionária; se assim não for, deixa de ser a Igreja de Cristo, não passando duma associação entre muitas outras, que rapidamente veria exaurir-se a sua finalidade e desapareceria”, diz o Papa. E a missão da Igreja se concentra na pessoa de Jesus, o enviado do Pai, que enviou os apóstolos ao mundo para anunciar o Evangelho a toda criatura.

O que os cristãos são chamados a viverem e testemunharem ao mundo é a alegria de terem encontrado Jesus Cristo, caminho, verdade e vida. Nele o ser humano se torna pleno, pois se sabe amado infinitamente pelo Pai, a ponto de enviar seu Filho para que fossemos salvos.“A primeira motivação para evangelizar é o amor que recebemos de Jesus, aquela experiência de sermos salvos por Ele que nos impele a amá-Lo cada vez mais” (EG 264).“Sabemos bem que a vida com Jesus se torna muito mais plena e, com Ele, é mais fácil encontrar o sentido para cada coisa. É por isso que evangelizamos” (EG 266). Por isso, anunciar o evangelho “não é uma tarefa opcional, mas parte integrante da identidade cristã” (DAp 144).

A centralidade da vida e da missão do cristão é Jesus Cristo e a missão da Igreja não é proselitismo ou propagação de uma ideologia religiosa ou de uma vida que se destaque pelas virtudes. Com humildade e coragem anunciamos às pessoas “uma Boa Nova portadora de uma alegria contagiante, porque contém e oferece uma vida nova: a vida de Cristo ressuscitado, o qual, comunicando o seu Espírito vivificador, torna-Se para nós Caminho, Verdade e Vida (cf. Jo 14,6)” (Mensagem para o Dia Mundial das Missões 2017, 1). De fato, Jesus Cristo não é um personagem histórico para ser estudado, mas alguém com quem partilhar as alegrias e desafios da existência, pois quem o acolhe com fé experimenta a força transformadora do seu Espírito de Ressuscitado. Afirmamos com convicção que “o mundo tem uma necessidade essencial do Evangelho de Jesus Cristo. Ele, através da Igreja, continua a sua missão de Bom Samaritano, curando as feridas sanguinolentas da humanidade, e a sua missão de Bom Pastor, buscando sem descanso quem se extraviou por veredas enviesadas e sem saída” (Mensagem para o Dia Mundial das Missões 2017, 5).

A espiritualidade que anima os missionários e todos os que sentem o dever de testemunhar sua fé, sem medo de incompreensões, é a da saída de si, do seu comodismo. Esta espiritualidade exodal é consequência do amor de Deus derramado em nossos corações pelo Espírito Santo. “A missão da Igreja inspira uma experiência de exílio contínuo, para fazer sentir ao homem sedento de infinito a sua condição de exilado a caminho da pátria definitiva, pendente entre o «já» e o «ainda não» do Reino dos Céus”(Mensagem para o Dia Mundial das Missões 2017, 6). Imploramos a intercessão de Santa Terezinha do Menino Jesus e São Francisco Xavier para todos missionários, sobretudo pelos missionários leigos de nossas comunidades, que compreenderam que sem a ousadia não é mais possível hoje transmitir a fé cristã.

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.