Bispos › 18/08/2017

A vocação para servir 

Dom José Gislon – Bispo Diocesano de Erexim 

Estimados Diocesanos! Neste terceiro domingo do Mês Vocacional, solenidade da Assunção de Nossa Senhora, recordamos e celebramos a vocação à “vida religiosa”. Com espírito de gratidão a Deus pelo dom da vocação à vida religiosa, como Igreja Diocesana, manifestamos nossa estima aos consagrados e consagradas, que, na disponibilidade de seguir e “servir” o Senhor, consagram a vida pela causa do Evangelho. É uma consagração que tem presente o “sim” de Maria, a “mãe e serva do Senhor”, assunta ao céu. O sim da renúncia em constituir uma família biológica, para aderir por amor ao Reino a uma família mais ampla, unida pelo carisma do amor serviço à Igreja povo de Deus.

É uma vocação que requer do consagrado ou consagrada, espírito de renúncia, disponibilidade, itinerância, missionariedade, consumir-se pela paixão ao Reino de Deus no serviço-amor–doação. Este amor, serviço, doação pela causa do Reino, testemunho do amor do Senhor Jesus, pode levar o religioso ou religiosa a estar presente nas realidades de fronteira da humanidade, onde a vida e a dignidade das pessoas são duramente provadas e ameaçadas; onde o mínimo para a sobrevivência pode ser uma dádiva de Deus a cada dia.

Na história do cristianismo e da Igreja, a vida consagrada soube acolher, através dos fundadores e fundadoras de Ordens e Congregações, o sopro do Espírito Santo, para dar uma resposta profética e revigorante de amor serviço à Igreja junto às comunidades. Soube ir e continua indo às fronteiras das realidades humanas em nome do Evangelho, para cuidar da vida e da dignidade das pessoas em realidades pouco atraentes ao mercado do consumismo. Levam no coração a paixão pelo Reino do apóstolo São Paulo; o cuidado da vida de São Lucas; o amor pela paz, a natureza e a pobreza evangélica de São Francisco de Assis; a caridade de São Vicente de Paulo e de Madre Tereza de Calcutá; a força da oração comunhão de Santa Clara, Santa Terezinha e tantas outras mulheres e homens que, no silêncio dos mosteiros, diante do Santíssimo, em oração, alimentam a missão da Igreja no mundo.

Que a fé no Senhor Jesus, celebrada em família e na comunidade, tenha sempre presente o “sim” do amor serviço de Maria e ajude os jovens a responderem “sim” a Deus, para assumirem com alegria no coração a vocação dom de Deus pelo bem da humanidade.

 

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.