Bispos › 23/11/2017

Ano do laicato

 Dom José Gislon – Bispo Diocesano de Erexim

Ano Laicato 2017-1A Igreja Católica no Brasil, na celebração da Solenidade litúrgica de Cristo Rei do Universo e Dia Nacional dos Cristãos leigos e leigas, dá início ao Ano Nacional do Laicato, cujo objetivo é: “Animar a todos os cristãos leigos e leigas a compreenderem a sua própria vocação e missão e atuarem como verdadeiros sujeitos eclesiais nas diversas realidades em que se encontram inseridos, reconhecendo o valor de seus trabalhos na Igreja e no Mundo, numa ‘Igreja em saída’ a Serviço do Reino”.

Como Igreja comunidade de fé, queremos valorizar os inúmeros leigos e leigas que vivem o batismo numa dimensão missionária e profética a partir da vida familiar e profissional. Inseridos na vida da comunidade, contribuem, com sua participação e testemunho de fé, para revelar o rosto da ternura de Deus no mundo.

Temos muitos cristãos atuando nos mais variados setores da sociedade como professores, empresários, políticos, juristas, médicos, cientistas, sociólogos, comunicadores, psicólogos, artistas, etc. que se destacam pela “sua competência, sua fé e seu humanismo”, contribuindo para a ação evangelizadora da Igreja e o crescimento do Reino de Deus.

Mas também temos cristãos leigos e leigas, pessoas humildes, que vivem a sua fé no cotidiano, nos trabalhos de cada dia, no anonimato, no voluntariado, atuando nas pastorais e animando a vida das comunidades. Podemos dizer que são o perfume de Cristo, o fermento do Reino, a glória do Evangelho.

Este Ano Nacional do Laicato é uma oportunidade para valorizarmos o nosso batismo, a dimensão da nossa missão de sermos “sal da terra e luz do mundo”. Ser cristão e ser cidadão não podem ser vistos de maneira separada. Os cristãos leigos e leigas são “embaixadores de Cristo”. Têm cidadania própria no povo de Deus; são participantes de pleno direito na missão da Igreja. Guiados pelo Espírito Santo, têm lugar insubstituível no anúncio e serviço do Evangelho, na família, na comunidade, no mundo do trabalho e na sociedade.

 

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.