Bispos › 16/12/2017

Apareceu um homem enviado por Deus…

Dom Antônio Carlos Rossi Keller – Bispo de Frederico Westphalen

A figura de S. João Batista marca a liturgia deste 3º Domingo do Advento como acontecia já no domingo passado. Ele foi enviado por Deus. Veio para dar testemunho da luz. Ele não era a luz, mas veio para dar testemunho da luz, como nos diz o Evangelho (João 1,6-8.19-28).

Deus continua a enviar-nos os Seus mensageiros: os Apóstolos e os seus sucessores, os bispos e sacerdotes. Eles não são a luz mas estão conosco para dar testemunho da luz, que é Jesus. Sua missão é a de transmitir-nos não as suas ideias pessoais mas a doutrina de Cristo, que Ele confiou à Sua Igreja.

E temos obrigação de escutá-los como enviados de Jesus. Quem vos ouve a Mim ouve – disse-lhes Jesus (Lucas 10,16). Não podemos ser daqueles cristãos que dizem: – Em Cristo eu acredito, na Igreja e nos padres não. Acreditamos em Jesus que nos fala através dos Seus enviados.

Além de nos alimentar por meio deles com a Sua Palavra, Jesus dá-nos por eles a Sua graça, através dos sacramentos que Ele instituiu, sobretudo o batismo no qual nos tornamos filhos de Deus. Na confissão perdoa-nos através deles os pecados cometidos e dá-nos a abundância da Sua graça para crescermos na santidade.

Na Eucaristia tornam Jesus presente no altar para Se oferecer de novo ao Pai pela redenção dos homens e para se dar a nós em alimento para a vida eterna.

O sacerdote tem mais poderes que João Batista. Jesus disse dele que entre os nascidos de mulher não houve maior que João Batista. Mas o menor no Reino de Deus é maior do que ele. (Mateus 11,11).

João é o maior entre os profetas, mas Jesus deu aos Apóstolos e seus sucessores poderes maiores. João pregava um batismo de penitência, os sacerdotes têm o poder de perdoar os pecados no batismo e na confissão. João batista anunciava a chegada de Jesus, o sacerdote torna-O presente no altar.

Temos de agradecer a Deus o dom do sacerdócio. Temos de aprender a ver Jesus por detrás de cada um deles. Apesar dos seus defeitos e até dos seus pecados.

Devemos estar atentos não apenas à sua pregação mas também obedecer às suas indicações. Eles têm a missão de nos guiarem em nome de Jesus, o Bom Pastor.

Jesus é apresentado na 1ª Leitura deste Domingo (Isaías 61,1-2 a.10-11) como o Messias, o ungido de Deus. Ele foi ungido pelo Espírito Santo.

A Sua Santíssima Humanidade está unida à divindade. Ele é o Filho de Deus, a Segunda Pessoa da Santíssima Trindade. O Espírito Santo unge a Sua natureza humana para operar a salvação de todos os homens.

Também os sacerdotes são ungidos no sacramento da Ordem, recebendo o Espírito Santo para serem na terra outros Cristos.

Sejamos agradecidos, especialmente neste ano, pelos 5 novos sacerdotes de nossa Diocese.