Notícias › 10/05/2017

Bispos e padres de Erexim refletem sobre a morte e o luto

Morte e o processo do luto

Professor Felipe Biazus, coordenador do Curso de Psicologia da URI Erechim, assessorou a parte de estudo da reunião dos bispos e padres da Diocese na manhã desta terça-feira, 9, no Centro de Pastoral, sobre a morte e o processo do luto. Segundo o Coordenador Diocesano de Pastoral, Pe. Maicon Malacarne, a reflexão é motivada pelo aprofundamento que a equipe de Coordenação Diocesana e a Comissão de Ministros e Servidores vêm desenvolvendo sobre as exéquias e o acompanhamento às famílias enlutadas.

A reflexão do professor Felipe foi sobre “a morte e o morrer, auxiliando no processo do luto”. Abordou os seguintes aspectos: superação da dor pela perda de quem se ama; razões de a morte ser um tabu; os rituais depois da perda; o que não falar. Acentuou que a perda de uma pessoa é uma das situações mais difíceis que a vida pode trazer. A morte é o maior limite humano. A religião é importante pelo que oferece como resposta à finitude. Observou que a ausência da religião nos espaços públicos empobrece o simbolismo associado à morte. Há necessidade de uma reeducação para a morte, uma vez que faz parte da vida, mas a sociedade atual como que a esconde.

A pessoa em situação terminal, mesmo amparada por recursos clínicos sempre maiores no hospital, acaba isolada da família e, normalmente, gostaria de morrer junto a ela. Destacou a importância do processo do luto, direito de quem perde alguém e dever de uns para com os outros. Devolve ao enlutado a chance de uma nova história. Cada pessoa vive a sua dor e ninguém vive a dor do outro. Pode compartilhá-la, estar perto, mas respeitando o processo que o outro vive. Indicou as fases do processo da dor: a negação, a raiva, a barganha, a depressão e a aceitação. Distinguiu o processo do luto em diferentes situações de morte, súbitas e violentas, depois de prolongado tempo de enfermidade. Ressaltou a importância dos rituais após a perda de alguém. Apontou que o melhor remédio na dor é ajudar os outros, e tentar descobrir o que a tragédia pode trazer de bom. Por fim, relacionou algumas expressões a serem evitadas com a pessoa enlutada.

Outras informações da diocese

Conselho Diocesano de Leigos: Da festa de Cristo Rei deste ano, em 26 de novembro à do próximo ano, dia 25 de novembro, no Brasil, transcorrerá o Ano do Laicato. Em vista disto, segundo Pe. Maicon, a coordenação de pastoral vai desencadear o processo de constituição do Conselho Diocesano de Leigos. Sugeriu que o ou a representante paroquial da próxima reunião do Conselho Diocesano de Pastoral, em primeiro de julho, seja alguém que possa contribuir para a organização do referido Conselho de Leigos da Diocese.

Celebrações das aparições de Fátima e Romaria Diocesana: Pela equipe de liturgia da Romaria, Pe. Valter Girelli e Pe. Antonio Valentini apresentaram aos padres na reunião desta terça-feira aspectos refletidos em vista da celebração das aparições de Nossa Senhora de Fátima nos dias 13 de maio a setembro e da Romaria no dia 08 de outubro. Lembraram o contexto dos eventos: a implementação do Plano Diocesano da Ação Evangelizadora, a Campanha da Fraternidade, a situação de crise sócio-política-econômica, o projeto de revitalização do Santuário, o Ano Nacional Mariano e Diocesano do Centenário de Fátima. Indicaram o enfoque de cada dia 13 e perspectiva do tema e lema da Romaria. Informaram que o terço e a missa das 14h, a procissão e a missa das 19h30 do dia 13 deste mês serão presididas pelo Bispo Diocesano. Passaram folha para inscrição de padres para presidirem as dos outros meses.

Comunicações do Bispo: Dom José expôs aos padres, em sua reunião desta terça-feira, um apanhado da recente Assembleia Geral da CNBB. Mencionou o tema central, Iniciação à Vida Cristã, sobre o qual será publicado um documento; as análises de conjuntura social e eclesial; as notas sobre o dia do trabalhador e sobre o momento nacional; o relato de experiências pastorais, como o das Dioceses do Paraná na Guiné Bissau, da Conferência dos Religiosos do Brasil no Haiti, de Dioceses do Norte do País e outras. O Bispo falou também do andamento das obras do projeto de revitalização do Santuário, a respeito do qual o ecônomo da Diocese, Ildo Benincá, apresentou relatório das doações conseguidas e as despesas efetuadas ou previstas até agora.

Atendimento pastoral das paróquias de Jacutinga e do Bairro São Cristóvão de Erechim: Na reunião dos padres, nesta terça-feira, Dom José informou que, com a desistência do ministério do Pe. Valdemir Debastiani, o Pároco da Paróquia Santo Antonio de Jacutinga será o Pe. Olírio Streher, atualmente Vigário Paroquial de Estação. Pe. Luiz Warken continuará como Vigário Paroquial em Jacutinga. Com a desistência do Pe. Cleberton Piotrowski, Pe. Maximino Tiburski, Vigário Paroquial da Paróquia São Cristóvão de Erechim, continuará conduzindo a Paróquia, com a ajuda de outros padres. Dom José ressaltou o compromisso manifestado pelos conselhos econômicos e de pastoral das duas paróquias, o que é muito especialmente importante neste momento de transição nas duas paróquias.

Dados biográficos do professor Felipe Biazus: Sua família era de Concórdia e se transferiu para Vargeão, SC. Fez Faculdade de Psicologia na URI Erechim. Tem mestrado em Psicologia, área de concentração Processos Psicossociais, Saúde e Desenvolvimento Psicológico, pela UFSC. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Psicologia Social e Psicologia Comunitária, atuando principalmente nos seguintes temas: representações sociais, políticas públicas e envelhecimento. Atualmente é coordenador do Curso de Psicologia da URI Erechim onde é professor, pesquisador e supervisor acadêmico do curso; Colaborador do Laboratório de Psicologia Social da Comunicação e Cognição – LACCOS/UFSC e colaborador do Laboratório de Educação Ambiental – LabEA/URI. Membro do Comitê Institucional de Avaliação de Projetos CIAP-URI.

Colaboração: Pe. Antônio Valentini Neto – Assessoria de Comunicação da diocese de Erexim.

Tags:

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.