Sem categoria › 28/09/2017

Celebração ecumênica recorda os 500 anos da Reforma Luterana hoje na Catedral Metropolitana de Porto Alegre

 A Igreja Evangélica de Confissão Luterana e a Igreja Católica Apostólica Romana promovem, no dia 28 de setembro, um ato ecumênico recordando os 500 anos da Reforma. O evento será na Catedral Metropolitana de Porto Alegre, às 19h30min. Trata-se de um momento oportuno para recordar publicamente a caminhada que luteranos e católicos têm realizado a favor do diálogo ecumênico.

 O pastor Romeu Martini, assessor teológico da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB) em Porto Alegre, destaca que, especialmente nos últimos 50 anos, católicos e luteranos têm tratado com franqueza e abertura as feridas que foram provocadas a partir do movimento da Reforma. “O evento lembra um movimento que obviamente gerou crises, independentemente do mérito de quem teve culpa ou não”, afirma, observando que ao longo do tempo, dentro da própria Reforma, ocorreram subdivisões.

 Pastor Romeu recorda o relatório da Comissão Católico-Romana e Luterana acerca da Unidade, com o título “Do Conflito à Comunhão”, no qual as igrejas assumem suas diferenças, mas concordam que elas não são impedimentos para que possam dar um testemunho em conjunto. “Nós temos o Evangelho de Jesus Cristo como nosso bem comum, e é a ele que nós devemos sempre voltar”, enfatiza o pastor.

 O arcebispo metropolitano de Porto Alegre, Dom Jaime Spengler, ressalta que a data é um marco importante na história cristã ocidental. “Se tudo teve seu início numa situação conflituosa, hoje, 500 anos depois, desejamos construir espaços de comunhão”, pondera o líder católico, salientando o contexto atual, marcado por expressões de intolerância em diversas situações da vida social e eclesial.

 Dom Jaime destaca o que disse Bento XVI em 2015, no discurso à delegação do Patriarcado Ecumênico de Constantinopla: “Se é verdade que o Senhor chama vigorosamente os seus discípulos a construir a unidade na caridade e na verdade; se é verdade que o apelo ecumênico constitui um convite urgente a reconstruir, na reconciliação e na paz, a unidade entre todos os cristãos, gravemente prejudicada; se é verdade que não podemos ignorar o facto de que a divisão torna menos eficaz a sacrossanta causa da pregação do Evangelho a todas as criaturas (cf. Unitatis redintegratio, 1), como é que nos podemos subtrair à tarefa de examinar com clareza e boa vontade as nossas diferenças, enfrentando-as com a íntima convicção que elas devem ser resolvidas?”.

 O evento em Porto Alegre é inspirado do ato do Papa Francisco e do presidente da FLM, Bispo Munib A. Younan. Eles se encontraram na Suécia em 31 de outubro do ano passado, data que marcou um ano para a celebração dos 500 anos da Reforma.

Por Amanda Fetzner Efrom,

Jornalista – Arquidiocese de Porto Alegre

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.