WEBMAIL

CNBB Sul 3 promove reunião ampliada em preparação a CFE 2021

A Campanha da Fraternidade de 2021 já está sendo articulada em todo o Brasil. No Rio Grande do Sul, as primeiras reuniões ocorreram ainda em novembro. Na continuidade deste processo, nesta quinta-feira, 17 de dezembro, mais de 30 pessoas participaram do encontro online que reuniu coordenadores de pastorais, lideranças arqui/diocesanas, representantes dos setores de ecumenismo e de Escolas e Pastorais da Educação.

Para apresentar a proposta, o presidente do CONIC (Conselho Nacional de Igrejas Cristãs) no Rio Grande do Sul, Pastor Adélcio Kronbauer, expôs os principais objetivos e desafios desta Campanha da Fraternidade Ecumênica. Membro da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), ele iniciou reforçando que no próximo ano, a campanha terá como tema “Fraternidade e diálogo: compromisso de amor”; e como lema o trecho da carta de Paulo aos Efésios: “Cristo é a nossa paz: do que era dividido fez uma unidade” (Ef 2, 14ª).

Dura

nte a exposição, o pastor ressaltou que, a partir do objetivo geral e dos objetivos específicos da Campanha, devemos organizar uma articulação que gere ações concretas em nossa realidade. Ele destacou de forma especial a necessidade de superação da violência, do racismo e da falta de cuidado com a criação; da promoção da justiça e da cultura do amor; e do fortalecimento da convivência ecumênica e inter-religiosa. “Precisamos de profecias que anunciem a esperança, que reafirmem o fundamento da fé e que gerem vida e não violência”, afirmou.

Na continuidade do encontro, os participantes partilharam as ações desenvolvidas ou planejadas em suas realidades, a partir dos espaços de ecumenismo e da motivação da Campanha da Fraternidade. Entre os relatos expostos, estão a consolidação de fóruns de articulação ecumênica com padres e pastores, seminários virtuais para estudo da temática da CFE 2021 e promoção de ações conjuntas entre as Igrejas do CONIC. Em âmbito regional, a CNBB Sul 3 apresentará no próximo mês a proposta de formação estadual sobre o tema, considerando as possibilidades de realização de encontros presenciais ou onlines.

Por fim, Dom Silvio Guterres Dutra, Referencial da Comissão Episcopal Pastoral para a Ação Sócio Transformadora no Regional Sul 3, reforçou a necessidade de que a Campanha da Fraternidade “motive em nós, a partir do método do ecumenismo, o diálogo que supera as polarizações e as violências que vivemos a cada dia”. Dom Sílvio explicou ainda que o diálogo proposto pela CFE não é apenas entre Igrejas, a partir do ecumenismo, mas em um âmbito mais profundo, que propicie efetivamente a fraternidade.