Notícias › 21/08/2017

Congresso promove reflexão sobre Maria na PUCRS

Iniciou na tarde desta segunda-feira, 21 de agosto, o Congresso de Mariologia – Piedade Popular, Cultura e Teologia, promovido pelo Programa de Pós-Graduação em Teologia da Escola de Humanidades da PUCRS. Cerca de 250 inscritos, entre estudantes, seminaristas, padres, bispos e religiosos participam do evento no teatro do prédio 40 da universidade. O objetivo do congresso é refletir sobre o caráter teológico de Maria na fé cristã e na religiosidade popular.

 

Evento na PUCRS reflete sobre o caráter teológico de Maria na fé cristã e na religiosidade popular. Foto: Amanda Fetzner Efrom

Ao longo dos três dias de programação, professores doutores como Clara Maria Temporelli, Isidoro Mazzarolo, Maria Rodica Tutas, Geraldo Luiz Borges Hackmann, Edla Eggert, Armindo Trevisan, Afonso Tadeu Murad e Clodovis Boff falarão sobre diversos aspectos que envolvem a pessoa de Maria, conforme lembrou Dom Leomar Brustolin, bispo auxiliar de Porto Alegre e coordenador do evento e da Pós-graduação em Teologia. Na abertura do congresso, Dom Leomar recordou os temas que serão abordados e a proposta do encontro.

 Na mesa oficial que marcou o início da programação, estava o decano da Escola de Humanidades, Draiton Gonzaga de Souza, que deu as boas-vindas. O reitor da PUCRS, Ir. Evilázio Teixeira, destacou que a cultura contemporânea é a cultura da suspeita, na qual tudo é questionado. “Isso faz parte do processo humano pela busca da verdade”, salientou, observando que a Teologia não está imune a essas suspeitas”. Ele recordou ainda a importância de Maria na vida da Igreja. “Com ela todo cristão é convidado a contemplar a beleza do rosto de Cristo e a profundidade de Seu amor”, afirmou.

 

Mesa oficial formada por Dom Leomar Brustolin, Dom Jaime Spengler, Ir. Evilázio Teixeira e Draiton de Souza. Foto: Amanda Fetzner Efrom

O arcebispo metropolitano de Porto Alegre e chanceler da universidade, Dom Jaime Spengler, lembrou das celebrações em torno de Nossa Senhora em 2017: os 300 anos de Aparecida e os 100 anos de Fátima. Falando das tantas denominações dadas a Maria, Dom Jaime salientou que no rosto dela se encontram traços de todo rosto humano, sobretudo dos mais sofridos. De acordo com o arcebispo, a reflexão sobre Maria pode dar indicações para a transformação da realidade social e eclesial brasileira.

 O Congresso de Mariologia ocorre até quarta-feira, 23 de agosto.

* Texto e fotos: Amanda Fetzner Efrom – Jornalista – Arquidiocese de Porto Alegre

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.