Bispos › 21/10/2016

Dia Mundial das Missões

Dom Hélio Adelar Rubert – Arcebispo de Santa Maria

Nas celebrações dos dias 22 e 23 de outubro de 2016, dentro do Ano Santo da Misericórdia, reavivamos nós cristãos batizados a realidade das missões. Este ano olhamos as missões como grande obra de misericórdia tanto espiritual quanto material. Segundo a mensagem do Papa Francisco todos são estimulados a ‘sair’, como discípulos missionários, pondo a render nossos talentos, criatividade, sabedoria e a experiência para levar a mensagem da ternura e compaixão de Deus para toda a família humana.

Segundo o dizer do Papa, Deus é benigno, solícito e fiel; aproxima-se de quem passa necessidade para estar perto de todos, sobretudo dos pobres; envolve-se com ternura na realidade humana, tal como fariam um pai e uma mãe na vida dos seus filhos, que amarão para sempre, em todas as circunstâncias suceda o que suceder, porque são fruto do seu ventre. Deus é misericordioso para com todos, o seu amor é para todos os povos e sua ternura estende-se sobre todas as criaturas (cf. Sl 144,8-9).

Afirma o Papa Francisco que há tantos homens e mulheres de todas as idades e condições que dão testemunho desse amor de misericórdia. “ As mulheres, leigas ou consagradas – e hoje também numerosas famílias -, realizam a sua vocação missionária nas mais variadas formas: desde o anúncio direto do Evangelho ao serviço sociocaritativo. Ao lado da obra evangelizadora e sacramental dos missionários, aparecem as mulheres e as famílias que entendem de forma muitas vezes mais adequada, os problemas das pessoas e sabem enfrentá-los de modo oportuno e, às vezes, inédito: cuidando da vida, com uma acrescida atenção centrada mais nas pessoas do  que nas estruturas e fazendo valer todos os recursos humanos e espirituais…”

Finalizando sua mensagem, o Papa Francisco pede que sejamos concretos em nossa ajuda missionária destinando “todas as ofertas que cada diocese, paróquia, comunidade religiosa, associação e movimento, de todo o mundo, puderem recolher para socorrer as comunidades cristãs necessitadas de ajuda, e ainda, revigorar o anúncio do Evangelho até os  confins da terra. Também nos nossos dias, não nos subtraiamos a este gesto de comunhão eclesial missionário; não restrinjamos o coração às nossas preocupações particulares, mas o alarguemos aos horizontes da humanidade inteira”.

Que nossa contribuição para as Santas Missões seja generosa e abençoada!

 

 

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.