Bispos › 27/08/2017

Diáconos permanentes

Dom Hélio Adelar Rubert – Arcebispo Metropolitano de Santa Maria

Nossa Arquidiocese de Santa Maria retoma o processo de implantação de diáconos permanentes. Desejamos continuar a sensibilização, os esclarecimentos nas paróquias e indicação de candidatos, para, em 2018, iniciar a formação específica.

Cada Pároco, juntamente com o Conselho Paroquial de Pastoral, se empenha pessoalmente neste processo. Faz-se necessário esclarecer bem nosso povo sobre a identidade e a missão dos diáconos permanentes.

Quem é o diácono permanente? “No contexto da ministerialidade da Igreja e, mais especificamente, no âmbito do ministério ordenado, o diácono define-se como sacramento de Cristo Servo e como expressão da Igreja servidora” (Diretrizes, n.28). O diácono constitui o primeiro grau do sacramento da Ordem (cf. LG 29). Os outros dois graus são o padre e o bispo. O diácono recebe a ordenação para o serviço: “São-lhes impostas às mãos, não para o sacerdócio, mas para o ministério” (LG 29). É importante enfatizar que, em primeiro lugar, o diaconato é uma verdadeira vocação, assim como o matrimônio, o sacerdócio e a vida consagrada. Ele é um dom de Deus para a sua Igreja.

Os diáconos não são ordenados para se colocarem acima dosleigos ou para lhes tirar seu lugar. Não desejamos esvaziar a missão do leigo, mas somar forças, na comunhão arquidiocesana a partir do Plano de Ação Evangelizadora. Eles partilham, na corresponsabilidade eclesial e na única missão evangelizadora, com os padres, os religiosos e os leigos. Os ministérios leigos e os diáconos “são duas vocações diferentes, ainda que complementares, dentro da ministerialidade da Igreja” (Diretrizes, n. 52).

Nosso objetivo é iniciar a preparação de novos diáconos. Na próxima 50ª Assembleia Arquidiocesana, que acontecerá nos dias 24 e 25 de novembro de 2017, os Párocos apresentarão (os) candidato (os) de sua Paróquia, tendo já o consentimento do CPP. A indicação do candidato e o fato de realizar a Escola Diaconal não significa que será necessariamente ordenado, devendo passar pela avaliação da Comissão Arquidiocesana para o Diaconato Permanente. Ao indicar o candidato, a Paróquia terá a responsabilidade de ajudar na sua formação.

Os diáconos permanentes são uma esperança para nossa Igreja arquidiocesana. Oremos ao Senhor da Messe que nos envie estes operários de que tanto necessitamos. Incluímos a vocação diaconal em nossas orações pelas vocações.

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.