Bispos › 23/06/2017

Festa Joanina ou Junina

Dom Remídio José Bohn – Bispo de Cachoeira do Sul 

Junho é o mês de São João, Santo Antônio, São Pedro e São Paulo.  A devoção popular, por isso, celebra as festas juninas, antes conhecidas como “Festas Joaninas”, especialmente em homenagem a São João. O nome “joanina” teve origem, segundo alguns historiadores, nos países europeus católicos no século IV. Quando chegou ao Brasil, trazida pelos portugueses, foi modificado para “junina”.

Nestesábado, pois, celebramos a festa do nascimento de JOÃO BATISTA.  É o único santo, junto com Nossa Senhora, que a Liturgia comemora no dia do nascimento (nos outros santos é o dia da morte).  Foi um nascimento testemunhado nos primeiros tempos da Igreja e conservado pela história nos escritos da Sagrada Escritura (Lc1, 57-66). Assemelha-se às festas da infância de Jesus e de Nossa Senhora.

João é o seu nome, anuncia Zacarias. O próprio nome João significa “Deus se mostrou misericordioso”. João é um dom gratuito de Deus. Isto se mostra de diversas maneiras. Primeiro, pela idade avançada de seus pais. Segundo, pelo fato de ninguém na família de Zacarias e Isabel se chamar João. Terceiro pelo fato de Deus “soltar a língua” de Zacarias para que ele possa dizer: “João é o seu nome”.  O acréscimo “batista”, ao nome de João, significa aquele que batiza, isto é, que batizou Jesus Cristo nas águas do Rio Jordão.

Com João iniciou uma nova era: Terminou o tempo das promessas, da expectativa e iniciou o tempo da realização. Deus cumpriu a sua palavra. É festa de alegria para a Igreja, pois, Deus cumpre com sua promessa e envia o precursor, aquele que prepara os caminhos do Messias (Jesus) que nos vai salvar! Com profunda humildade, ele aceita ser relegado a segundo planopara que Jesus apareça melhor: “Agora convém que ele cresça e que eu diminua…”

A presença de João Batista, pela sua fidelidade e coerência, tornou-se um perigo para as “falsas” autoridades do tempo. João foi um crítico contundente do poder vigente. Foi esse o real motivo de sua condenação e martírio. Isto significa que as falsas autoridades têm medo das palavras do profeta, de quem age defendendo a vida do povo e seus verdadeiros direitos.

Ainda hoje, o Messias continua chegando e se oferecendo como Salvador. Daí a gente se pergunta: quem são os precursores que o anunciam para nós? Ecomo é que nós acolhemos a salvação hoje, oferecida por Deus?

Você, também, é convidado a ser um “precursor de Deus”, um “João Batista” que prepara os caminhos de Deus. “Não tenhais medo” é o chamado incisivo de Jesus no Evangelho deste domingo.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.