Bispos › 12/11/2017

Ideologia de Gênero: deixem nossas famílias em paz

Dom Ricardo Hoepers – Bispo da Diocese do Rio Grande

Estamos vivendo uma celeuma com este debate infindável sobre ideologia de gênero. Alguns estão realmente obcecados pelo tema e parece que o mundo gira só em torno a uma crise sexual.

Tenho visitado muitas famílias, muitas escolas e muitas instituições. Todos são unânimes em dizer que já um cansaço neste embate sobre a imposição do poder público na educação sexual dos alunos (filhos que os pais confiam para uma educação sadia). Na lista de exigências dos pais há uma enorme gama de interesses na melhoria do ensino: em primeiro lugar está a melhoria do cuidado aos profissionais da educação. São os menos valorizados em nosso país. Depois as condições físicas das escolas, sem quadras de esporte, salas insalubres, um total desprezo e abandono, sempre com a desculpa que não se tem verbas. Sem falar nas escolas inacabadas, nas promessas não realizadas e no fechamento de muitas escolinhas que atendiam zonas vulneráveis ou crianças do interior. Essas e milhares de outras reivindicações fundamentais desaparecem do cenário para dar espaço a temas ideológicos que se impõe à educação dos pais para com os filhos.

A sexualidade pertence ao âmbito da liberdade pessoal, pois se trata de nossos desejos, condutas, afetos e pulsões. A pretensão de impor a toda sociedade, em forma de lei, com o apoio da administração publica uma visão ideológica de sexualidade, inventada e disseminada por uma minoria, não é compatível com o regime de liberdade, pois se trata de um “direito humano” de poucos a custa da liberdade da maioria. É uma ditadura das minorias. É uma invasão da privacidade dos valores da família.

Por isso, fazemos um apelo as nossas famílias, aos nossos pais e mães que prezam pela educação de seus filhos que fiquem atentos a todo tipo de imposição indevida ou desrespeito aos valores cristãos que regem os seus lares.

Portanto, nessa discussão,antes que me perguntem já esclareço que a posição da Diocese do Rio Grande, é a posição da Igreja e do Papa Francisco:

A desvalorização social da aliança estável e generativa do homem e da mulher é sem dúvida uma perda para todos. Devemos restituir a honra ao matrimônio e à família! A Bíblia diz algo muito bonito: o homem encontra a mulher; eles encontram-se e o homem deve deixar algo para a encontrar plenamente. Por isso, o homem deixará o seu pai e a sua mãe para ir ao encontro da mulher. É bonito! Isto significa começar a percorrer um novo caminho. O homem é todo para a mulher, e a mulher é inteiramente para o homem.(Audiência Geral, 22 de abril de 2015).

Um grande inimigo atual do casamento é a teoria de gênero. Hoje está em ato uma guerra mundial para destruir o casamento. Hoje existem colonizações ideológicas que o destroem, não com as armas, mas com as ideias. Por isso, é preciso defender-se das colonizações ideológicas.(Discurso no encontro com sacerdotes, religiosos, religiosas, seminaristas e agentes de pastoral, Tbilisi, 1º de outubro de 2016).

 

 

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.