Destaques › 08/06/2017

“Iniciação à Vida Cristã perpassa todas as pastorais da Igreja”, afirmou dom Leomar

Os trabalhos na parte da tarde de quinta-feira (08), da Assembleia da Ação Evangelizadora do Regional, iniciaram com a explanação do bispo auxiliar de Porto Alegre, dom Leomar Antônio Brustolin, sobre os principais tópicos da “Iniciação à Vida Cristã: Itinerário para formar discípulos missionários”. Este documento foi aprovado durante a última Assembleia da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e é, em síntese, de uma nova experiência de formação, do entendimento de que a iniciação não diz respeito somente à catequese, mas perpassa todas as pastorais, movimentos e serviços. “Passados dez anos da Conferência de Aparecida, este tema continua sempre atual”, destacou dom Leomar.

O documento traz à luz quatro capítulos: 1) Um ícone bíblico: Jesus e a Samaritana; 2) Aprender da história e da realidade; 3) Discernir como Igreja e 4) Projeto diocesano de iniciação à vida cristã.

O primeiro capítulo não trata de uma exegese ou mesmo de leitura orante, mas apresenta o encontro transformador.

Ao refletir sobre o segundo capítulo, dom Leomar explica que existe uma forma ordinária para formação de cristãos, principalmente nestes tempos de mudança de época, quando se tem o compromisso de recuperar o caminho para anunciar Jesus. Nesse sentido, a casa da iniciação à vida cristã deve ser o eixo que transforma toda a pastoral.

Indo mais longe às reflexões, ainda menciona a existência de uma pastoral dos sacramentos da iniciação desfigura da vida comunitária, da pastoral de conjunto e do compromisso sócio-transformador. Assim, Dom Leomar acrescenta que a pastoral de manutenção se expressa, por exemplo, através de homilias superficiais e de uma catequese sacramental.

Em relação ao Projeto Diocesano de Iniciação à Vida Cristã, um dos pontos ressaltados é que haja acompanhamento dos catequizandos para integrá-los à comunidade.

O encontro com Jesus Cristo não pode ser dado como pressuposto. Se nós não tivermos uma evangelização, não estaremos preparados para lidar com as novas configurações da família; a principal catequista é a comunidade; superar os paradigmas de instrução. A Iniciação à Vida Cristã é um dos frutos mais ricos do Concílio Ecumênico Vaticano II.

Neste contexto de iniciação é preciso olhar para outros regionais, como, por exemplo, o Sul 2 (Paraná) e Oeste 1 (Mato Grosso do Sul). “Precisamos avaliar a qualidade nas experiências de atendimento às comunidades”, concluiu dom Leomar.

Por Dorcelina Gomes e Judinei Vanzeto

PASCOM/RS

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.