Destaques, Destaques 2 › 14/03/2017

Faculdades de Teologia: ITEPA e FAPAS recebem nota 5 no Enade

O Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas) divulgou os Indicadores de Qualidade da Educação Superior de 2015 no último dia 8. De todas as faculdades, universidades, institutos de teologia avaliados no Brasil, apenas 4 alcançaram nota 5 no Enade (Exame Nacional de Desempenho de Estudantes). Do Rio Grande do Sul, o Itepa Faculdades, de Passo Fundo, e a Faculdade Palotina – FAPAS, de Santa Maria, receberam nota máxima.

Para mais informações visite o site: http://portal.inep.gov.br/artigo/-/asset_publisher/B4AQV9zFY7Bv/content/id/666223

 

Saiba mais sobre as Faculdades de Teologia –  ITEPA e FAPAS

 O INSTITUTO DE TEOLOGIA E PASTORAL (ITEPA) é uma resposta às quatro dioceses que formam o Interdiocesano Norte da CNBB – Sul III – Frederico Westphalen, Passo Fundo, Erechim, Vacaria – as quais vinham sentindo a necessidade de fundar um centro de formação teológica-pastoral que respondesse aos desafios da realidade e das práticas pastorais da região.

Este sonho, com o apoio dos bispos, padres, agentes de pastoral e alunos da Pontifícia Universidade Católica/RS – Seminário Maior de Viamão – e Universidade de Passo Fundo, tornou-se concreto em 1982. Tal data marcou, então, o início de uma caminhada de novos desafios, de busca de meios para responder concretamente às necessidades pastorais dos cristãos da região. Assim, uma das propostas fundamentais que marcou a origem do Instituto e que ainda hoje está viva é ser um centro de pesquisa e reflexão teológica-pastoral capaz de preparar sacerdotes, leigos e religiosos(as) para a realidade das quatro dioceses.

A opção pedagógica para o exercício desta proposta foi o Método participativo, sendo este fundamentado nos ensinamentos da Sagrada Escritura. Em 1984, em Marcelino Ramos, no 2º encontro de Formadores e Professores, reafirmou-se a metodologia participativa, pois permite o exercício da democracia, da fraternidade e da formação global da personalidade. Outros encontros foram realizados e é interessante salientar o de Erechim, em 1998, onde foi retomado e aprofundado o processo participativo no contexto pluralista que estamos inseridos. Nos últimos dois anos continuamos a reflexão nas reuniões colegiadas, com a presença do Frei Luiz Carlos Susim (1999) e do Pe. Érico Hames (2000). As reuniões dos professores priorizam e enfrentam as questões fundamentais da formação, do ensino e do fazer teológico.

Com a criação do Itepa, iniciou-se um processo de descentralização dos estudos teológicos, até então feitos na PUC. Isto possibilitou que outros Interdiocesanos do RS, aos poucos, iniciassem também um processo de formação teológica ligada à própria realidade. Assim, surgiram: o Instituto Missioneiro de Teologia (IMT), de Santo Ângelo (1982); a Escola Superior de Teologia e Espiritualidade Franciscana (ESTEF), de Porto Alegre (1986); o Instituto de Teologia Paulo VI (ITP), de Pelotas (1988); as Faculdades Palotinas (FAPAS), de Santa Maria (2001); o Curso de Teologia da Universidade Lasalle (UNILASALLE), de Canoas (2001).

Em sua criação, atuaram diretamente as quatro Dioceses do Interdiocesano Norte: Erechim, Frederico Westphalen, Passo Fundo e Vacaria. O Itepa nasceu como Instituto de Teologia e Pastoral para estas quatro Dioceses. Por sua vez, sempre esteve aberto às Congregações Religiosas masculinas e femininas e aos leigos/as. A partir de 1996, a Diocese Chapecó, do Estado de Santa Catarina, passou a integrar o Itepa. Juridicamente, o Itepa se manteve ligado à Diocese de Passo Fundo. Em 2004, intensificaram-se as discussões para se criar uma entidade jurídica própria. Em 10 de Dezembro do mesmo ano o Itepa ganhou personalidade Jurídica própria.

 

A FACULDADE PALOTINA, identificada com uma instituição de Ensino Superior, busca em suas ações, promover e valorizar o ser humano, fortalecendo a cidadania, através da prática da excelência no ensino de graduação, pesquisa e extensão e em sua atuação na sociedade.

A Província Nossa Senhora Conquistadora de padres e de irmãos palotinos – tem uma longa caminhada na formação intelectual de seus membros. Em sua trajetória, o Seminário Maior Palotino, como instituição de ensino superior, mudou de cidade, de nome e, várias vezes, de programa curricular. O Curso de Filosofia começou em 1941, em São João do Polêsine, como um Curso Eclesiástico, de três anos. Em 1958, com a inauguração do Colégio Máximo Palotino, o Curso de Filosofia foi transferido para Santa Maria, onde funcionou como Curso de Extensão da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras Imaculada Conceição (FIC).

Em 1968, os estudantes palotinos passaram a freqüentar o Curso de Filosofia na Universidade Federal de Santa Maria, até o ano de 1977, quando foi iniciado o Curso Integrado de Filosofia e Teologia no Colégio Máximo Palotino. Em 1989, foi suspenso o Curso Integrado e criado o Curso Eclesiástico, de 02 anos. A partir de 1992, os estudantes palotinos passaram a frequentar o Curso de Filosofia no Centro Universitário Franciscano , antiga FIC.

O Curso de Teologia teve início em 1948, também em São João do Polêsine. Em 1958, foi transferido para o Colégio Máximo Palotino. Em 1989, voltou a funcionar o Curso de Teologia, de 04 anos, que havia sido modificado em 1977, com a implantação do Curso Integrado de Filosofia e Teologia. Em 1992, foi criado o Instituto de Filosofia e Teologia Santa Maria IFITESMA. A Sociedade Vicente Pallotti, entidade mantenedora desses cursos, sempre esteve voltada para as atividades de caráter educativo, cultural, beneficente, filantrópico e caritativo. No que diz respeito a sua atuação na área educacional, sempre priorizou o ensino da Filosofia e da Teologia em função de sua natureza religiosa, sendo que eram exclusivamente seminarísticos.

A entidade reavaliou sua posição e, em 2000, decidiu criar a Faculdade Palotina e buscar seu credenciamento junto ao Ministério da Educação, ampliando sua área de atuação para o ensino, pesquisa e extensão, buscando romper seu isolamento decorrente da formação seminarística para integrar-se à sociedade como um todo. Pela Portaria nº 2.615, de 06 dezembro de 2001, publicada no Diário Oficial da União do dia 10 de dezembro de 2001, o Ministério da Educação credenciou a Faculdade Palotina como uma Instituição de Ensino Superior.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.