Bispos › 06/08/2017

Itinerário para Formar Discípulos Missionários – 05

 Dom Aloísio Alberto Dilli – Bispo de Santa Cruz do Sul

Nossa reflexão a partir do documento da CNBB sobre a IVC continua hoje com o capítulo IV, que propõe caminhos para a ação – É o AGIR.

Para os desafios da transmissão da fé necessita-se de Projeto Diocesano de IVC. Não são simples reformas na catequese, mas revisão de toda ação pastoral, a partir da IVC. Sob inspiração do Rito de Iniciação Cristã de Adultos (RICA), com Inspiração catecumenal, elabore-se proposta para adultos, jovens e crianças. O projeto reunirá forças, aprofundará estudos e traçará linhas de ação para a diocese. Deverá perpassar as diversas instâncias das forças vivas da diocese para que o projeto seja assumido por todos. O objetivo principal consistirá em converter a Jesus Cristo, formar discípulos, renovar a comunidade e preparar missionários. O projeto contemplará a centralidade da Palavra de Deus e os interlocutores não são destinatários, mas sujeitos do processo.

O Projeto deve ter as seguintes características: fundamentar-se na Palavra de Deus; garantir a unidade dos sacramentos de iniciação; integrar liturgia e catequese; contemplar a pastoral de conjunto; ouvir as diversas instâncias da diocese e paróquias; garantir recursos à formação, aquisição de material didático e espaços adequados; ir além da mera instrução e preparação dos sacramentos.

As metas principais do projeto serão: aprofundar a IVC com presbíteros, diáconos, consagrados e seminaristas; formação bíblico-teológica e metodologia de inspiração catecumenal para o laicato; reflexão com coordenadores das comunidades, pastorais, movimentos, serviços; formação dos envolvidos na IVC para a unidade e integração dos sacramentos; evitar que a recepção dos sacramentos seja o ponto final da catequese; priorizar a IVC com adultos; proposta comum para a idade mais propícia do itinerário catequético; novo tipo de preparação dos pais e padrinhos de Batismo e Crisma; clareza dos compromissos de cada sacramento; planejamento da IVC: calendário em vista dos objetivos; garantia de recursos do fundo diocesano e paroquial.

O projeto contemple a devida Integração com a Liturgia. A partir do RICA, organize-se os diversos tempos da iniciação, procurando sintonia entre Bíblia, catequese, liturgia e comunidade. O rito das entregas da Palavra de Deus, do Creio e do Pai-Nosso expressem a tradição da comunidade, pois são os tesouros da fé às novas gerações. A dinamização do Projeto da IVC depende de Coordenação Diocesana, sendo todos os participantes conscientes do processo. Haja também a Coordenação Paroquial da IVC.

Os Tempos da IVC são quatro: Querigma (ou primeiro anúncio), Catecumenato (Catequese principal), Purificação e Iluminação (sacramentos) e Mistagogia (continuidade). Hoje apresentamos o Querigma, que significa ir ao encontro das pessoas, dialogar e apresentar-lhes o primeiro anúncio sobre Jesus Cristo para fazer arder seu coração. O Querigma é o anúncio principal a ser repetido mais vezes, a partir do que o discípulo experienciou. O Querigma não é propaganda e ele é realizado por cristãos que fizeram a experiência do encontro com o Senhor e se tornaram discípulos missionários: desejam partilhar a alegria de seguir Jesus Cristo, normalmente, chamados “Introdutores”. Eles acompanham cada pessoa que deseja aproximar-se da fé cristã. Devem ter formação doutrinal e bíblica.

 

 

 

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.