Sem categoria › 09/12/2017

João Batista e Maria: Modelos de preparação ao Natal

Dom Aloísio Dilli – Bispo de Santa Cruz do Sul

O nosso tempo de Advento vai acelerado. Faltam poucos dias para a celebração do nascimento de Jesus. O Natal não é simplesmente a lembrança do que aconteceu há dois mil anos atrás, em Belém, ou seja, o aniversário de Jesus. Mais do que um fato histórico, nós celebramos, ou seja, tornamos presente o que aconteceu no passado. Jesus quer nascer entre nós, hoje. Por isso o Advento se torna um tempo importante na preparação, de piedosa e feliz expectativa pela vinda do Senhor. A liturgia coloca diante de nós figuras bíblicas exemplares na fase preparatória do Natal, entre elas: Maria, a mãe do Salvador; João Batista, o precursor; São José, o pai adotivo; e outras.

João Batista foi o personagem que preparou a vinda de Jesus. É chamado de precursor, o que vai à frente e prepara. Ele convida à conversão, à mudança de vida (Lc 3,4-6.8), denuncia a injustiça (Lc 3,11-14), anuncia e indica a presença do salvador (Jo 1,29-34). Portanto, ele nos lembra que é preciso preparar-se para acolher o salvador em nossa vida, em nossa família, em nossa comunidade, no ambiente em que vivemos. Ele recorda que é preciso endireitar os caminhos tortuosos e esburacados de nossa vida, para que o Senhor possa chegar e morar conosco.

Quem mais nos pode ajudar na preparação do Natal é, sem dúvida, a mãe do própria Jesus Cristo. Ela se colocou totalmente a serviço do projeto salvador de Deus: “Eis aqui a serva do Senhor! Faça-se em mim segundo a tua palavra” (Lc 1,38). Ela se torna, assim, a nova mulher, a nova Eva. Não mais a que desobedece, mas a que diz “sim” ao plano de Deus. Maria havia concebido o projeto de Deus, já bem antes da anunciação, ou seja, Maria concebera antes na fé, no espírito, na mente que no ventre, como diziam os Santos Padres da Igreja. Com seu “sim”, ela participa decididamente do mistério da encarnação, oferecendo sua colaboração e sua cumplicidade a Deus.

O documento Culto Marial nos ajuda na reflexão que fazemos: “Os fiéis que procuram viver com a liturgia o espírito do Advento, ao considerarem o amor inefável com que a Virgem esperou o Filhos, serão levados a tomá-la como modelo e a prepararem-se, também eles, para irem ao encontro do Salvador que vem, bem vigilantes na oração… A liturgia do Advento … apresenta um equilíbrio cultual muito acertado, que bem pode ser tomado como norma a fim de impedir quaisquer tendências para separar, como algumas vezes sucedeu em certas formas de piedade popular, o culto da Virgem Maria do seu necessário ponto de referência: Cristo” (Mc 4).

Junto com João Batista, com Maria e José, preparemo-nos para o Natal do Senhor. Jesus quer entrar em nosso tempo para fazer dele uma história de salvação, de paz, de fraternidade. Ele fará revisar nossos projetos de vida, avaliando-os à luz da presença de Deus entre nós. Caros irmãos e irmãs, como vai nossa preparação ao Natal? Sem preparação o Natal chegará e passará como todos os outros dias do ano. Nada terá mudado em nossa vida. Continuaremos na mesmice de sempre, perguntando-nos sobre o sentido da vida e ficaremos sem resposta. Será então novamente um Natal que vai deixar um gosto amargo de saudade, de vazio, de frustração. Não é este o Natal que lhes desejamos.

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.