WEBMAIL

Ministérios e serviços na comunidade de fé

Estimados irmãos e irmãs em Cristo Jesus! Neste último do domingo do Mês Vocacional, quero de forma especial expressar minha gratidão às centenas de pessoas empenhadas no dia a dia junto às comunidades, onde a participação de cada um com seus dons e talentos, colocados a serviço do Evangelho, fazem a Igreja ser uma comunidade viva, orante e solidária, porque formada por discípulos e missionários do Senhor Jesus.

No processo inicial de formação humana e cristã, nós precisamos de alguém que nos acompanhe e nos oriente. Este caminho, percorrido de forma serena, com pequenos passos, deixam marcas na nossa vida. Quem já é mais vivido certamente lembra da sua ou do seu catequista. Daquela pessoa que de forma, às vezes até bastante severa, insistia para que a gente aprendesse o catecismo, e procurava transmitir valores cristãos que nos acompanhariam durante toda a vida. Como criança, a gente não valorizava muito, mas esperava com ansiedade o dia da primeira Eucaristia. Era um dia especial para a criança, a família e a comunidade.

O Concílio Vaticano II, que teve início no dia 11 de outubro de 1962, sob o pontificado do Papa João XXIII, e foi concluído em 8 de dezembro de 1965, sob o pontificado do Papa Paulo VI, buscou renovar a vida da Igreja, envolvendo os batizados numa maior participação na comunidade. Esta abertura da Igreja deu aos leigos a oportunidade de se engajarem, de forma mais ativa, na vida da Igreja e no serviço à comunidade. Graças a essa renovação, hoje temos milhares de pessoas que colocam seus dons e talentos a serviço do Reino de Deus, na Igreja, comunidade de fé. A participação dos leigos, nos vários ministérios e serviços, contribuiu de forma incisiva para dar um novo rosto à Igreja, tornando-a mais viva e atuante, nas Pastorais, nos Movimentos e nos Conselhos.

Neste domingo dedicado aos ministérios e serviços nas comunidades, quero expressar minha estima e gratidão aos catequistas da Diocese. Que cada um sinta-se abençoado por Deus, por poder doar parte da sua vida, do seu tempo tão precioso, na formação cristã das crianças, dos jovens e também dos adultos. Mas lembro também de todos aqueles e aquelas que estão envolvidos nas várias pastorais, movimentos e conselhos das nossas comunidades. Graças ao empenho de cada um de vocês, a Igreja pode realizar sempre mais a sua missão de anunciar o Reino de Deus e levar Jesus Cristo às pessoas.

Pode acontecer que diante de tantos desafios, às vezes, você pode sentir cansaço e desânimo, pode ter a tentação de largar tudo, pelas críticas e dificuldades em conciliar seu tempo com as necessidades da sua comunidade e dos seus irmãos. Mas tenha presente a pessoa de Jesus Cristo, que por amor entregou sua própria vida em sacrifício. E é por amor a ele que nós doamos parte do nosso tempo aos nossos irmãos e nossa comunidade de fé. Que o bom Deus continue abençoando vocês, pela disponibilidade e amor com que cada um coloca seus dons e talentos a serviço do Reino, na Igreja, comunidade de fé, Povo de Deus a caminho da casa do Pai.

+ Dom José Gislon, OFMCap. – Bispo Diocesano de Caxias do Sul