WEBMAIL

O amor de Deus pela vida

A celebração da Páscoa é marcada sempre pela ressurreição do Senhor Jesus, pela vitória da vida sobre a morte, do bem sobre o mal. E durante todo o tríduo pascal, que antecipa a celebração da Páscoa, nós vivemos e celebramos os acontecimentos que marcaram a vida e a morte de Jesus.

Muitos cristãos vivem intensamente o tempo da Quaresma e a semana Santa, até a sexta-feira da Paixão, e manifestam uma profunda reverência ao Senhor morto, mas perderam o sentido de celebrar a Páscoa, ou seja, a Ressurreição do Senhor, a vitória da vida sobre a morte, o amor de Deus, Pai, Criador, Redentor e defensor da vida.

O isolamento social, medida adotada sabiamente pelas nossas autoridades públicas para proteger a vida, impactou a vida pessoal, familiar, social e econômica, também das comunidades de fé. Com maior ou menor intensidade, fomos tomados pelo medo de sermos contaminados pelo vírus. Mas na nossa caminhada de fé, não devemos esquecer que Páscoa é tempo de sacrifício, lembrando que Jesus também ofereceu a própria vida, antes de voltar ao Pai.

Louvo e agradeço a Deus porque, diante do contexto atual, o vírus do amor, da caridade e da solidariedade, tem contagiado o coração de muita gente, para ir ao encontro das pessoas que vivem em situações da fragilidade social, onde a vida carece das necessidades mais elementares.

A Páscoa nos fala da vitória de Jesus sobre a morte, do amor pela vida, e nos motiva a fazermos o bem, a praticarmos a solidariedade e a caridade, a sairmos da nossa indiferença, para cuidarmos da vida do outro. Tocados pelo amor compaixão, podemos agir como bons samaritanos na realidade de hoje, cuidando e enfaixando as feridas provenientes da fragilidade social, com o bálsamo do amor caridade. Mas, neste momento da história, é importante também espalharmos com abundância o bálsamo da esperança, para fortalecermos a fé e o coração daqueles que foram contaminados pelo vírus da incerteza e do desânimo em relação ao futuro.

Queridos irmãos e irmãs em Cristo, o Senhor Ressuscitado nos fala da vitória da vida. Ele é a nossa alegria, a nossa força para vencermos o medo em relação ao presente, e caminharmos na esperança, como povo de Deus, provado pelos acontecimentos da vida, às vezes cansado e desanimado, mas não derrotado, porque na fé em Cristo Jesus seremos sempre vitoriosos no peregrinar deste mundo.

Dom José Gislon, OFMCap , Bispo Diocesano de Caxias do Sul