WEBMAIL

O Tempo Pascal

 

O Tempo da Páscoa dura 50 dias e vai até a festa de Pentecostes, que é a vinda do Espírito Santo. É um tempo de grande alegria, em que a Igreja celebra as alegrias da ressurreição. Durante o tempo pascal, os domingos têm uma sequência solene, pois todo domingo é Páscoa.

A cada domingo do Tempo Pascal, a Igreja, comunidade de ressuscitados, proclama solenemente: “Este é o dia que o Senhor fez para nós, alegremo-nos e nele exultemos” (Sl 118,24). A vida venceu a morte. Para nós, cristãos, a Páscoa tem um novo sentido, que é a passagem da morte para a vida.

Em toda missa recordamos o mistério da paixão, morte e ressurreição de Jesus Cristo. O que celebramos na Páscoa é o que fazemos em toda Eucaristia, e é o mistério da nossa fé. O tríduo celebrado de Quinta-feira Santa até o Sábado da Vigília Pascal é o que dá sentido ao que celebramos em todas as missas durante o ano inteiro. Acreditamos que o Senhor nos deixou a memória de seu Corpo e Sangue e nos acompanha até aos dias de hoje. E se Ele morreu e ressuscitou por nós, da mesma forma nós viveremos para sempre ao lado de Deus na eternidade.

O Tempo Pascal é o mais importante do Ano Litúrgico, pois é nele que celebramos a passagem da morte para a vida em Cristo. É um tempo de graça e renovação, no qual somos convidados a viver de acordo com os ensinamentos de Cristo e a nos deixarmos guiar por Ele em nossa jornada de fé.

É a passagem da morte para a vida, Cristo volta para a eternidade. De certa maneira, também é a Páscoa da Igreja, porque Cristo é a cabeça, e nós somos os membros. A Igreja vive por Ele e para Ele. No dia de Pentecostes, a Igreja é introduzida na vida nova do Reino de Deus e renasce junto com Cristo para uma vida nova e, a partir da sua ressurreição e da vinda do Espírito Santo, nasce a Igreja primitiva com os apóstolos e o Espírito Santo guia a Igreja até aos dias de hoje. Esse Espírito Santo é sinal de que Cristo acompanha a sua Igreja.

Somos convidados a fazer desse período uma Páscoa contínua, um tempo de renovar as esperanças e a confiança no Senhor, colocando em suas mãos o nosso destino. É um tempo para que, ressuscitados com Cristo, aprendamos a buscar as coisas que são do alto. A Páscoa nos proporciona renascer para uma vida nova em Cristo.

Participemos desse Tempo não deixando de lado aquelas práticas que iniciamos na Quaresma, sobretudo a oração e a meditação da Palavra de Deus, e deixemos com que Cristo guie a nossa vida. Que seja um tempo de graça e uma oportunidade de agradecer a Deus por tantos bens que Ele nos concede.

Que o Espírito Santo nos santifique e nos guie durante este tempo de graça. Que possamos viver intensamente a alegria da Ressurreição e renovar nossa fé na vida nova que Cristo nos oferece. Que a paz e a harmonia sejam restabelecidas em nosso mundo, e que possamos ser instrumentos da paz e do amor de Cristo para todos os que encontrarmos. E que os frutos da Páscoa perdurem em nossas vidas.

 

Dom José Mário Scalon Angonese – Bispo Diocesano de Uruguaiana