Bispos › 29/10/2017

Os valores da Reforma

Dom Hélio Adelar Rubert – Arcebispo de Santa Maria

No próximo dia 31 de outubro de 2017 comemora-se o Dia da Reforma Protestante. É uma data histórica a ser celebrada, porém com novas perspectivas. Nossa geração legou uma herança cheia de conflitos religiosos, até sangrentos, preconceitos, acusações mútuas e intolerâncias, mas também gestos de heroísmos.

Hoje, após 500 anos do cisma, a realidade é de aproximação e diálogo entre as denominações cristãs, entre católicos e luteranos, especialmente. O Concílio Ecumênico Vaticano II (1962-1965) abriu as portas para todo o Cristianismo. Uma visão nova da Igreja une a todos os batizados em Cristo. A partir do Batismo e pela ação do Espírito Santo na Palavra e na Caridade, formamos a Igreja do Senhor, uma Igreja que continuamente necessita ser renovada pela graça e pela conversão.

Olhamos a história do passado, com seus acertos e erros, para tirar, no presente e no futuro, lições e luzes que nos fazem crescer no acolhimento mútuo nas diferenças, nas boas iniciativas pelo progresso e organização cidadã, humana e eclesial.

A Reforma trouxe muitos desafios para romper situações de egoísmos do tempo, do poder, dos interesses políticos e eclesiásticos. Trouxe também inúmeros benefícios na valorização da Sagrada Escritura na mão do povo, na salvação por graça divina e pela fé, na glória à Santíssima Trindade e amor pela Igreja.

As iniciativas ecumênicas se baseiam no convite evangélico para “que todos sejam um a fim de que o mundo creia” (Jo 17,21). Estas iniciativas lançam luzes sobre as sombras jogadas sobre a humanidade nesses 500 anos da Reforma.

As ações no mundo, que visam a unidade na diversidade, são frutos da ação do Espírito Santo. A unidade entre os cristãos é uma graça que pedimos com orações, sacrifícios e muito amor. Com o diálogo, nada se perde, mas tudo se ganha. Com amor, acolhemo-nos nas diferenças, bem como nos valores próprios. Reconhecemos os heroísmos e martírios também nas outras Confissões. Neles reconhecemos a força e a ação de Deus.

Peçamos a graça para que as celebrações dos 500 anos da Reforma nos ajudem no testemunho da fé cristã, no diálogo aberto e respeitoso, no serviço da Palavra, na Caridade e na Unidade em Jesus Cristo. Que sejamos cristãos na união afetiva e efetiva!

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.