COMIRE RS › 07/09/2018

Padre Roni passa a integrar equipe missionária em Moçambique

Porto Alegre – Nesta segunda-feira, dia 10, o padre Roni de Almeida Mayer parte do Aeroporto Internacional Salgado Filho, em Porto Alegre, para uma missão de três anos em Moçambique, país do continente africano. Padre Roni, desde 2013 pároco da Santo Antônio de Mata, da Arquidiocese de Santa Maria, passa a integrar a equipe do Comire RS (Conselho Missionário Regional Sul 3 CNBB) que atua na diocese de Nampula, no projeto Igreja Solidária. “Conheci o projeto ainda na época de seminarista e desde então despertou o desejo de integrar a equipe missionária, um desejo que foi sendo cultivado e amadurecido a luz da oração”, revela feliz com a nova missão que inicia.

Natural de Toropi (RS), o padre foi ordenado em 19 de maio de 2012, na Paróquia São Pedro Apóstolo, de São Pedro do Sul. Após a ordenação permaneceu por sete meses como vigário na Paróquia São Pedro Apóstolo e, no mês de dezembro de 2012, foi designado a trabalhar na Paróquia Santo Antônio de Mata, onde permaneceu até o dia 29 de julho de 2018, deixando a paróquia para preparar-se para a missão da Igreja do Rio Grande do Sul. “Os desafios são muitos, mas para mim, neste momento inicial, o maior deles é aprender a língua Makua. Expectativas é viver cada momento com intensidade, aprendendo mais do que ensinando e fazendo uma experiência de conversão pessoal”, comenta o padre.

Pelo tempo que atuou como pároco no Rio Grande do Sul, o padre Roni deixa uma mensagem, por meio das palavras de Dom Helder Câmara, a todos que ficam e que seguem em oração pela sua atuação em Moçambique:

“Missão é partir, caminhar, sair de si. É quebrar as crostas do egoísmo que nos fecha no nosso eu!
Missão é parar de dar voltas ao redor de nós mesmos como se fôssemos o centro do mundo, da vida.
Missão é não deixar bloquear nos problemas do pequeno mundo a que pertencemos. A Humanidade é maior.
Missão é sempre partir, mas não devorar quilômetros. É sobretudo abrir-se aos outros como irmãos, descobri-los e encontrá-los.
E se para os descobrir e amar é necessário atravessar mares e voar pelos céus, então, missão é partir até aos confins do mundo!”

Padre Roni, da Arquidiocese de Santa Maria.