Notícias › 05/04/2017

Reunião de Seminários e Institutos de Teologia do Rio Grande do Sul

Organização dos Seminários e Institutos de Teologia estuda formação dos padres no Pontificado de Francisco.

Trinta representantes de 15 das 18 dioceses do Estado e da Congregação dos Missionários da Sagrada Família participaram do encontro da Organização dos Seminários e Institutos de Filosofia do Brasil no Rio  Grande do Sul osib4(OSIB), nesta segunda e terça-feira, 03 e 04, no Instituto de Teologia de Passo Fundo.

No primeiro dia, houve estudo sobre a formação à Luz do Pontificado do Papa Francisco e do novo Documento sobre a Formação dos Padres (Ratio Fundamentalis Institutionis Sacerdotalis) da Congregação do Clero, intitulado “O Dom da Vocação Presbiteral”, de 8 de dezembro passado. O assessor do estudo foi Dom José Gislon, bispo diocesano de Erexim e referencial para a formação e a animação vocacional no Regional Sul 3 da CNBB.

Dom José recordou que a preocupação com a formação dos futuros presbíteros sempre esteve presente na vida da Igreja e no magistério de todos os papas, principalmente depois do Concílio Vaticano II. Um dos Documentos do Concílio é sobre a formação sacerdotal (Optatam Totius). As propostas enviadas ao Concílio, foram agrupadas em 3 pontos: seleção e formação dos seminaristas, governo dos seminários e estudos.

Dom José ressaltou que é justamente na sequência desta preocupação da Igreja que se inserem o pensamento e as proposições do papa Francisco sobre o assunto.

Para o Papa Francisco, todo vocacionado é um “diamante bruto” a lapidar. Mas ele também tem em mente que a formação do presbítero é permanente. Num encontro com os participantes da Plenária da Congregação para o Clero, no Vaticano, em seu discurso, o Pontífice refletiu sobre três temas que correspondem à finalidade e às atividades daquele Dicastério: vocação, formação e evangelização.

A vocação, afirmou o Papa, se trata de um “tesouro” que Deus coloca no coração de alguns homens, escolhidos e chamados por Ele a segui-Lo. Quem é chamado ao ministério não é “dono” de sua vocação, mas administrador de um dom que Deus lhe confiou pelo bem de todos as pessoas. Mas também nós devemos fazer a nossa parte, mediante a formação, que é a resposta da Igreja ao dom que Deus lhe faz através das vocações. A vocação, afirmou o Papa, é como um “diamante bruto” a ser lapidado, para que brilhe em meio ao povo de Deus.

A formação não é um ato unilateral, com o qual se transmitem noções teológicas ou espirituais, mas é colocar-se em caminho permanente na escola de Cristo. Este percurso nunca termina, pois seus discípulos jamais deixam de seguir o Mestre. “Às vezes somos ágeis, outras vezes o nosso passo é incerto, ficamos parados e podemos inclusive cair, mas sempre permanecendo em caminho. Portanto, a formação enquanto discipulado, acompanha toda a vida do ministro ordenado e diz respeito integralmente à sua pessoa, intelectualmente, humanamente e espiritualmente”, recomendou o Pontífice

A evangelização: Este percurso de descoberta e valorização da vocação tem uma finalidade precisa, a evangelização. Nessa missão evangelizadora, os presbíteros são chamados a aprofundar sua consciência de serem pastores, convidados a estarem em meio ao rebanho. Para o Papa, devem evitar a tentação de se preocuparem com o consenso dos outros e com o próprio bem-estar, e buscar trabalhar animados pela caridade pastoral, para o anúncio do Evangelho até as periferias mais remotas.

“Trata-se de ‘ser’ padres, não se limitando a ‘agir’ como padres, livres de todo mundanismo espiritual”, recordando que a oração, o diálogo com Deus, é o coração da vida sacerdotal.

O dia de estudos foi concluído com a celebração eucarística, presidida pelo Arcebispo de Passo Fundo, Dom Rodolfo Weber.

Logo após a celebração, todos os participantes do encontro dirigiram-se para o Seminário Maior São José, da Diocese de Erexim, para o jantar, um churrasco, preparado pelo Pe. Clair Favreto, reitor do Seminário, com osib6colaboração dos seminaristas nele residentes.

A manhã de terça-feira, dia 04, foi dedicada a assuntos da própria Organização dos Seminários e Institutos de Teologia (OSIB) no Estado: prestação de contas, encaminhamentos para o encontro regional e nacional dos presbíteros e encontro nacional dos formadores, a ser realizado em Aparecida-SP, nos dias 10 a 14 de julho deste ano, a questão dos egressos e a eleição da nova coordenação da instituição em nível regional. A coordenação ficou assim constituída: Coordenador, Pe. Clair Favreto, reitor do Seminário São José, da Diocese de Erexim; secretário e o tesoureiro reeleitos, Pe. Daniel Feltes, de Passo Fundo, e Pe. Ildomar Danelon, de Osório.

Colaboração: Pe. Antônio Valentini Neto, da Diocese de Erexim.

 

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.