WEBMAIL

“Testemunhas do Ressuscitado”

 

Minha saudação a todos os irmãos e irmãs que acompanham a Voz da Diocese. Celebramos, neste 3º Domingo da Páscoa, a manifestação do Ressuscitado aos discípulos. Assim como foi com os discípulos de Emaús, aos quais ele se manifestou no caminho e no partir o pão, ele se manifestou também a todos, quando estavam reunidos, anunciando-lhes a paz.

Caríssimos irmãos e irmãs. Depois que os discípulos de Emaús haviam retornado e contado aos demais o que tinha acontecido no caminho e como tinham reconhecido Jesus no partir o pão, o próprio Jesus apareceu no meio deles e disse: “A paz esteja convosco” (Lc 24, 36)! Os discípulos ficaram assustados e cheios de medo, pensando estar vendo um fantasma. Daí o questionamento do próprio Jesus: “Por que estais preocupados e por que tendes dúvidas no coração? Vede minhas mãos e meus pés, sou eu mesmo! Tocai em mim e vede! Um fantasma não tem carne e nem ossos, como estais vendo que eu tenho” (Lc 24, 38-39). E depois “mostrou-lhes as mãos e os pés” (Lc 24,40). Com isso, o Evangelho faz ver que o ressuscitado vive uma realidade e uma dimensão nova. Os discípulos são convidados a perceber concretamente que o ressuscitado é aquele que estava antes com eles. Por isso, eles ficaram muito alegres e surpresos, a ponto de não poderem acreditar. O fato de Jesus comer um pedaço de peixe assado os faz ver que ele não é um fantasma. Jesus é o Cristo Ressuscitado, por um lado, presente no meio deles, e, por outro, ele se manifesta glorioso, vencedor da morte.

Assim, o Evangelho faz ver que a ressurreição de Jesus é o ponto central de toda a Sagrada Escritura. Por isso, Jesus disse: “São estas as coisas que vos falei quando ainda estava convosco: era preciso que se cumprisse tudo o que está escrito sobre mim na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos” (Lc 24,44). Jesus se apresenta como o grande intérprete da Sagrada Escritura, no qual ela adquire sentido pleno. Nele, O ressuscitado, o plano de salvação de Deus é para “todas as nações”, e não apenas aos israelitas. Os discípulos são chamados a serem suas “testemunhas”: “Vós sereis testemunhas de tudo isso” (Lc 24,48). É a partir do testemunho dos discípulos que o anúncio do ressuscitado chegará a todas as nações.

Prezados irmãos e irmãs. Vemos ainda na primeira leitura, tirada do Livro dos Atos dos Apóstolos (3,13-15.17-19), a descrição do testemunho de Pedro, após ter curado o coxo de nascença. O texto faz ver que a Comunidade Cristã prolonga as palavras e ações de Jesus ao longo da história. A missão dos Apóstolos e seguidores de Jesus é dar continuidade àquilo que Jesus começou a fazer e ensinar. Por isso, admiravelmente e corajosamente Pedro faz um belo anúncio: “O Deus de Abraão, de Isaac, de Jacó, o Deus de nossos antepassados glorificou o seu servo Jesus” (At 3,13). Depois disso, Pedro fez uma forte denúncia, dizendo ao povo: “Vós o entregastes e rejeitastes… Vós rejeitastes o Santo e Justo… Vós matastes o autor da vida, mas Deus o ressuscitou dos mortos, e disso nós somos testemunhas” (At 3,14-15). Jesus é apresentado como o autor da vida, pois nele todos encontrarão vida plena. E, por último, Pedro fez um apelo à conversão, lembrando o apelo de João Batista e do próprio Jesus, dizendo: “Arrependei-vos e convertei-vos, para que vossos pecados sejam perdoados” (At 3,19). O caminho de salvação passa pela fé, pela conversão e pelo seguimento a Jesus Cristo.

A Primeira Carta de João (2,1-5a), Segunda Leitura deste Domingo, encerra a reflexão, fazendo também um forte apelo: “Não pequeis. No entanto, se alguém pecar, temos junto do Pai um Defensor: Jesus Cristo, o Justo. Ele é a vítima de expiação pelos nossos pecados, e não só pelos nossos, mas também pelos pecados do mundo inteiro” (1Jo 2,1-2). Por isso, “quem diz que conhece a Deus, mas não guarda seus mandamentos, é mentiroso e a verdade não está nele. Naquele, porém, que guarda sua palavra, o amor de Deus é plenamente realizado” (1Jo 3,4-5) .

Assim, a Liturgia da Palavra deste Domingo convida-nos a crer na Ressurreição, a testemunhar a Ressurreição e a converter-se a Cristo Ressuscitado, seguindo seus passos. Isto é ser discípulo de Jesus; isto é ser cristão.

Deus abençoe a todos e bom domingo!

 

Dom Adimir Antonio Mazali – Bispo Diocesano de Erexim