Notícias › 31/05/2017

V ENESPERE abre novos caminhos para a Justiça Restaurativa no Brasil

O próprio Padre Leonel Narváez Gómez, idealizador e potencializador da ESPERE – Escola do Perdão da Reconciliação, foi a presença mais comemorada entre os mais de 200 participantes do V ENESPERE – Encontro Nacional das Escolas do Perdão e Reconciliação – , ocorrido nos dias 26 a 28 de maio de 2017, em Cascavel (PR), sob o tema: “Diálogos restaurativos – um caminho para a paz”. Ele discorreu sobre o perdão como prática restaurativa no mundo a partir de sua experiência na Colômbia e colaborou com vários momentos do evento.

Segundo Gómez, “o perdão tem sido a virtude mais negligenciada na Igreja e ser cristão implica em ser capaz de perdoar. Perdoar é ascender, é viver a eternidade aqui e agora, pois somos seres espirituais fazendo uma curta experiência humana e, nesta dimensão, somos imperfeitos e necessitamos de misericórdia”. Além disso alertou que essa é uma consciência que deve ser trabalhada desde a infância, e que já é desenvolvida na Fundación para la Reconciliación uma metodologia voltada para as escolas: a Pedagogia do Cuidado e da Reconciliação, cuja implantação no Brasil é uma das metas estabelecidas como encaminhamento do evento.

Também esteve presente a diretora da Fundación para la Reconciliación, a colombiana Paula Monroy, participando, com a irmã Dra. Petronella Maria Boonen da Conferência: Sujeitos e subjetividades nos processos restaurativos. Paula divulgou o Encontro Internacional da ESPERE, a realizar-se de 12 a 15 de outubro de 2017, em Santo Domingo, na República Dominicana.

O panorama da ESPERE no Brasil, sob um olhar filosófico, foi apresentado pelas irmãs Maria do Socorro Medeiros Dantas e Aurélia Sotero Ângelo.

O Padre Valdir João da Silveira, coordenador da Pastoral Carcerária nacional e o Juiz de Direito, Leoberto Narciso Brancher (RS), abordaram a crescente judicialização de conflitos e o encarceramento em massa.

O painel sobre a Justiça Restaurativa pelo método ESPERE e alternativas ao sistema penal foi desenvolvido pelas religiosas Imelda Maria Jacoby (RS), Martina Gonzalez (SP) e Gabriella Pinna (CE), trazendo exemplos claros de verdadeira humanização com pessoas privadas de liberdade.

O Núcleo Comunitário de Justiça Restaurativa de Cascavel, que organizou e sediou o evento, apresentou o painel sobre o trabalho que vem sendo realizado em parceria com a 12ª Promotoria da Comarca de Cascavel, da Vara da Infância e da Juventude junto com o Centro de Socioeducação II, a Escola Restaurativa Schuster e o Núcleo Regional de Educação local.

Na ocasião, houve apresentação da Big Band formada por detentos da Penitenciária Industrial de Cascavel que emocionou os participantes.

A coordenação da ESPERE Brasil, até então sob a responsabilidade da Ir. Maria do Socorro Medeiros Dantas, agora será conduzida por uma equipe colegiada, com um representante de cada região, a saber: Sul – Irmã Imelda Maria Jacoby; Sudeste – Edson Carvalho Mourão; Centro Oeste – José Carlos de Almeida; Nordeste – Joselene Barbosa Linhares  e Norte – Padre José Boeing. O próximo ENESPERE será em Brasília, com data ainda não definida.

O Rio Grande do Sul participou com uma delegação de aproximadamente 30 pessoas representando as (arqui)dioceses que já trabalham a justiça restaurativa na metodologia da ESPERE, inseridos na Pastoral Carcerária do RS.

 

Colaboração: Nice Luiza – Pascom Diocese de Montenegro (RS)

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.