WEBMAIL

VII Jornada Mundial dos Pobres: “Olhe para mim!”

“Não desvies o rosto de nenhum pobre” (Tb 4,7), é a reflexão central da VII Mensagem do Papa Francisco para o Dia Mundial dos Pobres, realizado neste domingo, 19 de novembro de 2023. A Igreja no Brasil, por meio das Pastorais Sociais e Organismos ligados à Comissão Episcopal para a Ação Sociotransformadora da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (Cepast-CNBB), propõe uma Jornada em preparação ao Dia Mundial dos Pobres, que neste ano será realizada de 12 a 19 de novembro.

Para esta VII Jornada Mundial dos Pobres, a equipe propôs como tema: “Olhe para mim!” e o lema “Não desvies o rosto de nenhum pobre” (Tb 4,7). A identidade visual para esta jornada, em forma de mosaico, indica conectar os povos dos campos, das cidades, das florestas, das águas na interligação com a Casa Comum. 

Para contribuir na realização e mobilização da Jornada, junto com as pessoas em situação de pobreza, os materiais disponibilizados são: o subsídio para reflexão e celebraçãoque você pode baixar clicando aqui; além do cartaz, banner, camiseta, material para as redes sociais, Tvs e rádio: que você pode acessar aqui.

Dom Sílvio Guterres Dutra, bispo referencial da Comissão para a Ação Sociotransformadora no Regional Sul 3, gravou um vídeo motivando todo o Regional à vivência desta VII Jornada Mundial dos Pobres. Ele afirma que não podemos esquecer que o Evangelho que cremos e vivemos precisa ser transformado em ações concretas no cotidiano da nossa vida. “Este é o dia de firmar o compromisso com os pobres e estendê-lo a todos os domingos e dias do ano.”, afirma dom Sílvio. Confira o vídeo na íntegra:

Seguindo a convocação do Papa Francisco, reafirmamos: “O Dia Mundial dos Pobres, sinal fecundo da misericórdia do Pai, vem pela sétima vez alentar o caminho das nossas comunidades. Trata-se duma ocorrência que se está a radicar progressivamente na pastoral da Igreja, fazendo-a descobrir cada vez mais o conteúdo central do Evangelho. Empenhamo-nos todos os dias no acolhimento dos pobres, mas não basta; a pobreza permeia as nossas cidades como um rio que engrossa sempre mais até extravasar; e parece submergir-nos, pois o grito dos irmãos e irmãs que pedem ajuda, apoio e solidariedade ergue-se cada vez mais forte. Por isso, no domingo que antecede a festa de Jesus Cristo, Rei do Universo, reunimo-nos ao redor da sua Mesa para voltar a receber d’Ele o dom e o compromisso de viver a pobreza e servir os pobres”.