Artigos, Bispos › 14/02/2020

A fé vivida nos passos da vida

Parto do princípio que cada ser humano é um dom de Deus, porque traz dentro de si a capacidade de amar e perdoar, sorrir e se alegrar com os fatos e os acontecimentos bonitos que a vida lhe oferece. Mas dentro dele, está também presente, e muitas vezes adormecida, a sensibilidade pelo sofrimento, pela dor que o fere diretamente, ou atinge alguém muito próximo do seu círculo familiar, comunitário ou social.

Quando somos tocados e despertados por essas realidades que ferem a vida, muitas vezes nos sentimos fragilizados ou até incapacitados de reagirmos de forma positiva e altruísta, em relação aos acontecimentos que a agridem de forma particular, trazendo também conseqüências dolorosas à família e a nossa dignidade de filhos e filhas amados de Deus.

Diante da dor ou das provações da vida, buscamos muitas vezes soluções mágicas, com o intuito, talvez, de fugir do confronto com a realidade, que nos pede uma mudança de atitude, que leve a uma mudança de vida, não só no modo de pensar, mas também no modo de agir e interagir com os fatos e os acontecimentos que encontramos, muitas vezes nos desencontros da vida no dia a dia.

Nos passos da vida, podemos ser tentados, quando estamos com o coração ferido pela dor, de nos fecharmos sobre nós mesmos e às vezes fazemos propósitos que em sã consciência jamais faríamos, porque não é da índole do ser humano, criado a imagem e semelhança de Deus, renunciar à comunhão com o Criador, com os seus semelhantes e às suas criaturas.

Quando não estamos bem, humanamente ou espiritualmente podemos alimentar sentimentos que nos levam a pensar em deixar de amar, perdoar, de gostar da vida, mesmo sendo jovens ou tendo já vivido muitos dias e o corpo traz os sinais do tempo e mostra sinais de cansaço. Ou ainda, podemos ser tentados de abandonar a fé em Deus, de mantermos viva a esperança em relação ao amanhã, de sermos solidários com os outros, que também carregam na alma e no coração as marcas e as provações da vida, mas não deixam morrer a fé que alimenta o espírito e dá forças para vencermos nos pequenos passos do dia a dia os desafios que a vida nos apresenta.

Dom José Gislon – Bispo de Caxias do Sul