Artigos, Bispos › 03/04/2020

A vida é bela!

A exemplo de todos, eu também estou tendo mais tempo para pensar. Nestes momentos, surgem preocupações com a situação que vivemos, mas também se revelam alegrias e esperanças. Um dos frutos que colhi dias atrás foi a inspiração do “Tarde Te Amei”, dos escritos das confissões de Santo Agostinho, no Capítulo X. Recordei vários encontros e situações da vida e de como nós a estamos cuidando.

Assim nos diz o trecho: “Tarde Te amei! Tarde Te amei, ó Beleza tão antiga e tão nova! Tarde demais eu Te amei! Eis que estavas dentro, e eu, fora – e fora Te buscava, e me lançava, disforme e nada belo, perante a beleza de tudo e de todos que Criastes. (…) Chamaste, clamaste por mim e rompeste a minha surdez. Brilhaste, resplandeceste, e a Tua luz afugentou minha cegueira. Exalaste o Teu perfume e, respirando-o, suspirei por Ti, Te desejei. Eu Te provei, Te saboreei e, agora, tenho fome e sede de Ti. Tocaste-me e agora ardo em desejos por Tua Paz!”

Estes são dias nos quais dispomos de mais oportunidades para refletir e avaliar se nossas atitudes estão mesmo humanizadas. Começando por um zelo por nós mesmos. Neste momento, convido-te a entrares em tua beleza interior e procurar a verdade contida. Depois, com ela, e de uma forma livre e corresponsável, participares com mais ênfase de movimentos que te levem a olhar o outro.

O meu exercício de olhar para dentro revelou que somos únicos diante da beleza da vida. Beleza esta que está em todos. Se não reconhecemos isso, corremos o risco da autossuficiência, que pode levar à insatisfação, aos vazios existenciais, que nos afastam justamente do encanto pela vida.

Em sua voz interior, a vida clama por um minuto de atenção, para que percebamos que não somos uma ilha, mesmo em nossa beleza. Ela nos convida a perceber as pessoas que estão junto de nós, mesmo que apenas virtualmente próximas neste momento. A distância, afinal, não é um empecilho para nos sentirmos próximos uns dos outros.

Se no mundo exterior a nós, há preocupações, solidão, desencontros, necessidade de proximidade; precisamos buscar em nossa linha do tempo as mais belas recordações e momentos vividos juntos, para que eles alimentem em nós o desejo do momento futuro. Precisamos reavivar em nós as memórias felizes, os princípios das relações familiares, das amizades, dos bons costumes, que haverão de retornar em breve.

Precisamos nos lapidar neste tempo de reclusão, mas sempre com o olhar benevolente consigo mesmo. Só assim poderemos superar as ações incertas do cotidiano e transformá-las em novas relações humanas, afetivas e espirituais.

É hora de estarmos atentos ao que não conseguíamos ver antes, o que nos causava cegueira interior e exterior. Olhar para isso agora dará sentido às novas buscas daquilo que jamais havíamos sentido ou almejado antes.

Respirar é preciso! Sentir e ampliar a visão ao contemplar o horizonte que não nos afugenta e muito menos nos ignora, porque nos quer ver bem e cuidadosos uns com os outros. Ele nos encara com a luz da esperança, onde juntos poderemos reconquistar a beleza de tudo e de todos. Um horizonte que jamais se extinguirá.

Somos peregrinos na esperança, que caminham sem medo, com vontade de ousar e transcender na experiência espiritual que a vida nos ensinou. É preciso sentir e olhar com o coração as pessoas próximas ou distantes, amadas ou solitárias, cuidando de cada uma. Pratique o “viu, sentiu compaixão e cuidou” dentro de suas possibilidades.

Por fim, diante dos desafios que encontramos, vamos nos apoiar, falar bem, trazer fatos e recordações boas, para que juntos possamos sentir em cada ser humano que é único e amado a missão de juntos vivermos a civilização do amor.

Viva a vida! Ela é linda e necessitada de atitudes humanizadas.

Subsídio para celebrar a Páscoa – De forma extraordinária, o Regional Sul 3 da CNBB (Igreja Católica no Rio Grande do Sul) está disponibilizando em formato digital o tradicional subsídio que guia as famílias na preparação para a celebração da Páscoa. Para ler a mensagem de Dom Aloísio A. Dilli, bispo de Santa Cruz do Sul e referencial de Liturgia do Regional Sul 3 e baixar o material acesse: https://bit.ly/2JxSvxm.

Domingo de Ramos em casa – A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) convida a todos a viverem de forma muito especial o Domingo de Ramos durante a quarentena do coronavírus. Cada um e cada família, em suas casas, são chamados a celebrar o próximo domingo com fé e esperança. Por isso, A CNBB propõe cinco pontos para ajudar os fiéis na celebração do Domingo de Ramos. Como orientações para a celebração: 1 – Rezar pedindo a graça de bem viver a Semana Santa, ainda que em recolhimento em casa; 2 – Colocar no portão ou na porta de casa (em lugar bem visível) alguns ramos. Marcar a casa é uma característica do povo de Deus; 3 – Participar das celebrações transmitidas pela televisão ou pelas redes sociais; 4 – Comprometer-se a, no futuro, participar ativamente da Coleta da Campanha da Fraternidade. Com ela, ajudamos os mais pobres; 5 – Motivar pelas redes sociais, telefonemas ou outros meios que mantenham o distanciamento social, outras pessoas a também celebrarem o domingo de Ramos desse mesmo modo.

Orações e doações – Depois dos 10 milhões de euros destinados às Caritas nacionais, dos 500 mil euros doados ao Banco de Alimentos e os primeiros 3 milhões de euros vindos do “oito por mil” doados à Casa da Divina Providência – Cottolengo de Turim, ao Hospital cardeal Giovanni Panico, de Tricase, à Associação Oasi Maria Santíssima de Troina e ao Hospital Poliambulanza de Brescia – a Igreja na Itália continua a destinar recursos para as estruturas de saúde, muitas das quais estão mudando radicalmente sua organização interna para assistir os pacientes doentes do Covid-19. Neste sentido, os  bispos decidiram disponibilizar outros 3 milhões de euros provenientes dos fundos do “oito por mil” para a Fundação Policlínico Gemelli, do Hospital Villa Salus di Mestre, do Hospital Regional Geral Miulli de Acquaviva delle Fonti (BA). Para apoiar as estruturas de saúde foi lançada uma campanha de coleta de fundos. Aqueles que desejam contribuir podem depositar sua oferta na conta bancária em nome de CEI, IBAN IT 11 A 02008 09431 00000 1646515, causale: Sostegno Sanità. Toda a informação está disponível no site www.chiesacattolica.it. No dia 31 de março, o Papa Francisco presidiu a Missa na Casa Santa Marta, da V Semana da Quaresma. A Antífona de entrada é um encorajamento: “Espera no Senhor e sê corajoso! Fortifique-se teu coração; espera no Senhor” (Sl 26,14). Introduzindo a celebração, o Santo Padre pensou em quem não tem casa: “Rezemos hoje pelos sem-teto, neste momento em que nos é pedido para estar dentro de casa. Para que a sociedade de homens e mulheres se dê conta desta realidade e os ajude, e a Igreja os acolha. Na homilia, comentando as leituras do dia extraídas do Livro dos Números (Nm 21,4-9) e do Evangelho de João (Jo 8,21-30), recordou que Jesus se fez pecado para salvar-nos. Contemplemos Jesus na cruz, e agradeçamos.

Por Dom Darley José Kummer – Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Porto Alegre.