Artigos, Bispos › 26/11/2021

Advento: “Tempo de esperança”

Nossa saudação a todos (as) que acompanham Voz da Diocese na alegria que brota do espírito deste tempo do advento, – tempo de esperança.

O tempo do Advento é marcado como o início de um caminho de preparação ao Natal. É tempo de espera, é tempo de esperança, de estarmos prontos e vigilantes para a vinda do Senhor. Advento que significa aproximar-se, vir chegando devagar. Serão quatro semanas onde nos preparamos o Natal através de maior dedicação na oração, na abertura para melhores relações humanas, para gestos de solidariedade, para uma renovação interior e um compromisso mais profundo com a proposta do Reino de Deus. É um tempo de mergulharmos no verdadeiro sentido que este tempo nos traz: olhar para o Deus que veio, para o Deus que vem e o Deus que virá. Um Deus que é o mesmo “ontem, hoje e por toda a eternidade”. Historicamente nos coloca diante da dupla vinda do Senhor, ou seja, a vinda de Deus entre os homens no mistério de sua encarnação e a sua vinda ao fim dos tempos.

A liturgia deste primeiro domingo do advento nos convida à oração e a  vigilância e nos abre o caminho de preparação para o Natal. Preparar o coração para acolher o Cristo que vem nos trazer alegria e esperança de vida nova, frente aos desafios que a vida nos apresenta, em todas as direções, particularmente da superação definitiva da pandemia.

A primeira leitura tirada do livro do profeta Jeremias procura reanimar o povo de Israel sobre a vinda de um tempo em que a justiça será restaurada, segundo a promessa do Senhor que diz: “Naqueles dias, naquele tempo, farei brotar de Davi a semente da justiça, que fará valer a lei e a justiça sobre a terra” (Jr 33,15).

O Evangelho de Lucas nos coloca na centralidade da mensagem deste tempo que é o convite à vigilância e a atenção aos sinais dos tempos: “Tomai cuidado para que vossos corações não fiquem insensíveis por causa da gula, da embriaguez e das preocupações da vida […} Portanto, ficai atentos e orai a todo o momento…” (Lc 21,34.36). Um alerta para que não nos deixemos envolver pelas propostas de felicidade e bem estar para a nossa vida, nem mesmo pelas preocupações da vida apenas para este mundo. Encoraja-nos a colocar nossa esperança num mundo novo a ser construído.

Já São Paulo, na Primeira Carta aos Tessalonicenses, nos indica como viver nossos relacionamentos humanos, seguindo seu exemplo, que agrada a Deus e prepara-nos para o dia da vinda do Senhor: “O Senhor vos conceda que o amor entre vós e para com todos aumente e transborde sempre mais, a exemplo do amor que temos por vós” (1 Ts 3, 12).

Caríssimos irmãos e irmãs. O Natal é a luz da esperança que se acende nos corações daqueles que amam a Deus e o acolhe com sinceridade, agradecidos e animados pelo seu grande amor manifestado a nós no mistério da Encarnação de seu Filho Jesus; também nas palavras de encorajamento ditas a Maria e José: “Não tenhais medo” (Mt 1,20). Não tenhamos medo de deixar que o Senhor transforme nossos corações a partir da manjedoura de amor em que o Cristo Menino vem ao nosso encontro e vem para nos salvar.

Desejamos a todos (as) um frutuoso tempo do advento, vivido na oração, no amor e na esperança de novos tempos para toda a humanidade a fim de renovar e celebrar a vida e a esperança que brota do Natal do Senhor. Amém!

Dom Adimir Antonio Mazali – Bispo Diocesano de Erexim