Artigos, Bispos › 09/12/2021

Alegrai-vos, alegrai-vos, alegrai-vos no Senhor!

A exortação de Paulo: “Alegra-vos sempre no Senhor!” e do profeta Sofonias: “Canta de alegria cidade de Sião; rejubila povo de Israel! Alegar-te e exulta de todo o coração, cidade de Jerusalém!” ressoam para nós cristãos, nesse terceiro Domingo de Advento, como um convite a percebermos ainda mais e melhor o motivo da nossa alegria e esperança cristã, a vivenciarmos esse tempo de preparação ao Santo Natal com novo ardor, a alimentarmos o desejo de um encontro sempre mais profundo com o Verbo feito carne que faz vibrar as cordas do nosso coração.

Aproxima-se a festa da manifestação da Misericórdia divina, a vinda do Salvador da humanidade, o nascimento de Filho muito amado. Por isso a liturgia cristã o tem como “Domingo da alegria”, devido ao contentamento que começamos a sentir pela proximidade dessa chegada do Deus que vem.

Essa alegria não é simples festa, diversão ou euforia. É algo mais profundo que ninguém pode tirar: é a alegria da certeza do Reino de Deus já presente entre nós, o Príncipe da paz que oferece sua misericórdia a todos os que estão dispostos a acolhe-lo.

Sabemos que a alegria é um elemento constitutivo do Reino de Deus entre os homens; é fruto do Espírito no coração dos cristãos; ela se mantém em meio as perseguições e até mesmo no martírio. A alegria, para o Apostolo Paulo, faz parte do estado normal do cristão, não é um acessório e muito menos algo circunstancial, mas permanente: por isso, é possível “alegrar-se sempre, no Senhor!”

Nossa alegria consiste em estar com o Senhor. Enquanto estamos com o noivo não podemos estar tristes. E como o futuro ilumina o presente: é possível regozijar-se, porque “o Senhor está próximo” (Fl 4, 5). “Alegrai-vos sempre no Senhor! De novo eu vos digo: alegrai-vos! O Senhor está perto”. Esta antífona nos leva a rezar: “Ó Deus de bondade, que vedes o vosso povo esperando fervoroso o Natal do Senhor, dai chegarmos às alegrias da salvação e celebrá-las sempre com intenso júbilo na solene Liturgia”.

Como podem notar, se prestarmos atenção às leituras e às orações deste tempo de Advento podemos sentir como que projetados para o futuro e não para um futuro desconhecido, estranho ou incerto, mas numa perspectiva de salvação, porque sabemos que Deus realiza a sua promessa.

Exultar de alegria no Senhor e regozijar-se em Deus é possível a toda pessoa, basta que tenha fé e se deixe conduzir pelo Espírito Santo de Deus.

João Batista dá três dicas importantes como caminho de realização e felicidade: a partilha, a justiça e o poder/serviço.

Não percamos essa ocasião e aprendamos a viver na alegria. Arregalemos nossos olhos, estendamos nossos ouvidos, abramos as portas do nosso coração e deixemos a luz do céu entrar. Tudo vai ficar mais bonito, a alegria vai brotar no profundo do nosso ser e permanecerá conosco para sempre.

Neste final de semana somos convidados a participar na coleta da Evangelização, dando com alegria de nossa pobreza, cientes da nobre missão de levar ao mundo a Boa Notícia do Nascimento de Jesus, manifestação do amor infinito de Deus pela humanidade. Alegremo-nos sempre no Senhor!

Para refletir: Como estou me preparando para a celebração do Santo Natal? Consigo perceber que a alegria é fruto do seguimento de Jesus? Que sua vinda é fonte de paz e esperança para mim e para toda a humanidade? Onde encontro a alegria de viver?

Textos bíblicos: Sf 3, 14-18; Fl 4, 4-7; Lc 3, 10-18.

Dom Jaime Pedro Kohl – Bispo Diocesano de Osório