Bom Samaritano

Costuma-se olhar para a parábola do bom-samaritano somente pela ótica da misericórdia e dando uma lição de moral a qual dever-se-ia ser e agir igual ele. Todavia proponho uma reflexão sob o olhar do caído a beira do caminho.

Quantos jovens são assaltados diariamente e são abandonados à beira do caminho? Quantos jovens são espancados e deixados quase sem vida pelas estradas? Violência essa repetida ainda hoje e que necessita de um olhar de misericórdia.

Mas vamos mais adiante, quantos jovens são assaltados em seus ideais? De quantos jovens lhe é roubada a dignidade? Quantos jovens ainda hoje deixados pelo caminho caídos nas drogas que roubam seu passado e seu futuro?  Jovens estes que necessitam de um olhar de misericórdia.

E você? Onde está? Qual seu lugar na parábola do samaritano? És um fiel cumpridor da lei? Um sacerdote ou um levita exemplar que já se considera salvo e por isso não precisa mais usar de misericórdia? Ou és o samaritano que deixa tudo para que o caído recupere a sua dignidade? Mas ouso questionar: e não seremos nós muitas vezes o assaltado abandonado no caminho? Largado sem eira e nem beira? Qual sua posição?

Deus nos quer misericordiosos assim como Ele é misericordioso, mas mais ainda, Deus quer nos tirar de nossa posição de caídos.  Quer nos devolver a dignidade, quer sanar toda a violência seja ela física, moral ou psicológica.

Por Rudinei Zorzo – Coordenador do Serviço de Evangelização da Juventude do Regional Sul 3