Artigos, Bispos › 01/03/2019

Conhecer para amar e servir

Estou há pouco tempo em Bagé. Quero afirmar que estou encantado com a beleza dessa região e com a hospitalidade e o carinho das pessoas. Como bispo e pastor tenho a missão de ensinar, santificar e governar a Igreja Diocesana. Trata-se de uma grande oportunidade e, ao mesmo tempo, um imenso desafio. Nossa Diocese está presente em doze municípios da região, com 16 paróquias, um santuário e uma rede de comunidades. Temos aproximadamente 250 comunidades eclesiais e uma diversidade de pastorais, movimentos e serviços.

Escolhi como lema de minha missão diocesana, a passagem do Evangelho de Marcos: “Eu vim para servir” (Mc 10,45). Este é meu lema episcopal, que me coloca em sintonia com Jesus Cristo e sua missão. O próprio Jesus declara que não veio para ser servido, mas para servir e mostrou isso evangelizando os pobres, aliviando o sofrimento das pessoas e, inclusive, lavando os pés dos Apóstolos. O ministério do bispo se liga à prática de Jesus e demanda que se tenha grande afeição ao seu Evangelho, no desejo de experimentar a sua inspiração e participar de sua alegria no serviço aos irmãos.

No desejo de servir ao povo que me foi confiado, como servo e pastor, convido-os para serem comigo, um povo servidor, cada um abrindo-se ao outro em espírito de ajuda solidária, tendo como referência a vida e a ação de Jesus.

Assumi o ministério episcopal na mais profunda comunhão eclesial: com a porção do povo de Deus a mim confiado, com o clero, os religiosos e religiosas da Diocese; com o colégio episcopal, articulado, em nosso país, pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e em especial comunhão com o Papa Francisco, Bispo de Roma que, desde a antiga tradição, é o “servo dos servos de Deus”.

Estou ciente que precisamos somar com as diversas organizações, que atuam em prol do bem comum, presentes em nossa sociedade. Além de todas as iniciativas eclesiais, pretendo interagir com outras instituições protagonistas de desenvolvimento humano e solidário de nossa região. Irmanados com diversas lideranças, de diferentes setores, poderemos criar, ampliar e contribuir para que a dignidade prevaleça no meio de nós.

Nesse ano de 2019, como iniciante na missão episcopal, priorizarei o conhecimento de cada realidade existente na vida e missão de nossa diocese. Portanto, nesse mesmo período estarei participando de cursos e atividades ligados à CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) e no Vaticano, com atividades direcionadas a missão do Bispo, e, na oportunidade, teremos encontro com o Papa Francisco.

Concluindo minha participação, faço novamente uso das inspiradoras palavras do Papa: “Que nada nos tire a alegria, que nada nos tire a paz, que nada nos tire a esperança”!

+ Dom Frei Cleonir Paulo Dalbosco -Bispo de Bagé