Artigos, Bispos › 16/04/2019

Derramarei sobre vós uma água pura.

São muito bonitas e significativas as cerimônias litúrgicas da Vigília pascal. Todas elas giram em torno do Batismo e da Eucaristia.

As leituras, a bênção da água, a celebração dos batizados falam-nos da vida nova que Jesus nos trouxe pela Sua morte e ressurreição No Batismo lavou-nos do pecado por uma água pura, como o profeta Ezequiel anunciava ao povo de Israel. Deu-nos um coração novo para O amarmos e sermos o povo santo da nova aliança.

A passagem do Mar Vermelho é também uma prefiguração do Batismo. Como os israelitas, também nós fomos libertados da escravidão, duma escravidão pior que a do Egito. O Senhor libertou-nos do pecado e do demônio e tornou-nos verdadeiramente filhos de Deus.

Os Santos Padres viram na água e no sangue que sairam do peito aberto de Cristo na cruz, o sinal dos sacramentos que Jesus deixou à Sua Igreja. Morrendo na cruz obteve-nos a salvação, mereceu para todos os homens a abundância da graça que redime e salva. E é pelos sacramentos, que Ele instituiu, que essa graça mana sobre nós.

O primeiro de todos é o Batismo. É por ele que nascemos para a vida nova de filhos de Deus. Jesus disse a Nicodemos que era preciso nascer de novo para poder entrar no Reino de Deus. E ele perguntava :-Como pode um homem nascer sendo velho? Porventura pode tornar a entrar no seio de sua mãe? E Jesus respondeu-lhe “Em verdade, em verdade te digo: quem não renascer da água e do Espírito não pode entrar no reino de Deus.” (Jo 3,5) Antes de subir ao Céu disse aos Apóstolos: “Ide por todo o mundo pregai o Evangelho a toda a criatura. Quem acreditar e for batizado será salvo. mas quem não acreditar será condenado” (Mc 16,15,16 ).E mandou-os batizar “em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo“ (Mt 18,20)

O Batismo é o sacramento que nos faz nascer para a vida nova de Jesus, a graça que nos faz santos, membros da Sua Igreja e herdeiros da Sua felicidade infinita. O Compêndio do Catecismo da Igreja Católica (n.263) ensina: ”O Batismo perdoa o pecado original, todos os pecados pessoais e as penas devidas ao pecado; faz participar na vida divina trinitária mediante a graça santificante, a graça da justificação que incorpora em Cristo e na Igreja; faz participar no sacerdócio de Cristo e constitui o fundamento da comunhão entre todos os cristãos; confere as virtudes teologais e os dons do Espírito Santo. O batizado pertence para sempre a Cristo: com efeito, é assinalado com o selo indelével de Cristo (caráter sacramental indelével).

A Morte e Ressurreição de Jesus não são apenas acontecimentos do passado. Estão presentes na vida da Igreja e na vida de cada um de nós.

Estão presentes aqui neste momento. Na Eucaristia que celebramos torna-se presente o sacrifício do Calvário. É Jesus ressuscitado que está no meio de nós. Nós O reconhecemos ao partir do pão como os discípulos de Emaús, naquela tarde de Páscoa. Que neste dia tomemos mais consciência desta verdade, que nos há de encher de alegria como às mulheres e aos discípulos no dia Páscoa.

Feliz e Santa Páscoa da Ressurreição de Nosso Senhor Jesus Cristo a todos.