WEBMAIL

Deus liberta e salva

Estimados irmãos e irmãs, ouvintes e leitores da Voz da Diocese. Minha saudação fraterna em Cristo Jesus e no espírito deste período quaresmal que mais uma vez nos chama a refletir o tema da conversão. A liturgia se coloca de forma a ir nos orientando para a renovação de nosso batismo a partir de um processo de conversão como resposta ao projeto de Deus que é paciente e misericordioso para conosco.

A primeira leitura apresenta o chamado que Deus faz a Moisés para descer ao Egito e libertar o seu povo da escravidão dizendo-lhe: “Eu vi a aflição do meu povo que está no Egito e ouvi o seu clamor por causa da dureza de seus opressores. […] Desci para libertá-los das mãos dos egípcios, e fazê-los sair daquele país para uma terra boa e espaçosa, uma terra onde corre leite e mel” (Ex 3,8). Essa atitude de Deus parte do princípio de que Deus é sempre contrário a todas as injustiças e forma de sofrimento de seu povo. Por isso, chama Moisés para libertar o povo, estando Ele mesmo ao seu lado como libertador. Esta realidade convida-nos pensar e refletir sobre a importância de nossa luta perseverante e corajosa para vencer tudo aquilo que causa sofrimento, dor e morte; tudo o que escraviza o homem e o impede de viver com dignidade. Deus está do lado dos pequenos e sofredores. Bem compreendido frente a realidade do povo de Israel que vivia na escravidão do Egito e a mediação de Moisés para a libertação de seu povo a uma nova vida.

A segunda leitura convida todos a mergulhar no interior de si mesmos para fazer uma profunda revisão de pensamentos e atitudes. Destaca o que de mais importante deve aparecer em nossa vida, ou seja, a pureza de nosso coração e o esforço por viver de acordo com os valores do Reino de Deus. Aquilo que é aparência e preocupação externa, mundana, não tem profundidade e torna-se um vazio interior. A adesão ao projeto de Deus se dá pelo coração do cristão e pelo viver em comunhão profunda com Ele. As coisas externas desaparecem, mas o que está no íntimo do ser humano, permanece sempre.

O Evangelho aprofunda o tema da conversão com uma proposta radical de mudança, ou seja, uma mudança de nossas atitudes, de nosso modo de pensar, de nosso modo de viver e de reencontrar nossa vida, caso tenhamos mudado o rumo que nos conduz aos verdadeiros valores e princípios próprios do Reino de Deus. Na família, no trabalho, na Igreja e na sociedade, precisamos nos encontrar diante de uma verdade que edifica nossa vida, ou seja, a coerência de nosso viver a partir do Evangelho e seus valores que conduzem à construção do Reino e à felicidade plena.

Assim, neste terceiro domingo da quaresma, cabe-nos recordar que Deus quer renovar seu amor em nós a fim de chegarmos às festas pascais renovados pelo processo de conversão, de corações novos e comprometidos com a verdadeira vida que brota da ação salvadora de Jesus na cruz e sua ressurreição dentre os mortos. A alegria e a esperança sejam nossas características cristãs com esta mensagem libertadora ouvida na Palavra de Deus, pois Deus liberta e salva o seu povo.

Deus abençoe a todos!

Dom Adimir Antonio Mazali – Bispo Diocesano de Erexim