Artigos, Bispos › 20/11/2020

Dia Nacional dos Cristãos Leigos

Com o Domingo da Solenidade de Cristo Rei, a Igreja Católica conclui o Ano Litúrgico e, no Brasil, celebra o Dia Nacional dos Cristãos Leigos e Leigas. A Festa de Jesus, rei do universo, ensina que o essencial é atuar movidos pela compaixão, solidários com os pobres e excluídos. Jesus é pastor divino que dá a vida pelas suas ovelhas, não as abandona e está presente onde elas se encontram.

O lema deste ano é: “Cristãos Leigos e Leigas: testemunho e profecia a serviço da vida”. Expressa o chamado a continuar a obra de Jesus, já anunciada pelo profeta Isaías: “Eu vos chamei a serviço da justiça” (Is 42, 6). Pelo Batismo fomos inseridos no reino de Jesus e enviados a implantá-lo em nossas vidas, ambientes de trabalho e na sociedade. Somos testemunhas de Jesus de Nazaré que é o Cristo, o Filho Unigênito e eterno de Deus, enviado como homem para nos libertar de todos os tipos de pecados.

O laicato brasileiro é chamado a atuar na linha de frente no chão onde pisa, testemunhando com decisão a novidade do Reino implantado por Jesus. O laicato não se cala perante um mundo que não se configura ao projeto sonhado por Deus.

“O testemunho desses irmãos e irmãs leigas precisa iluminar nossa vida, nossas práticas, nossas lutas, a nossa militância hoje. Eles e elas são companheiros (as) de fé e de luta na construção de uma sociedade estruturalmente justa, fraterna e solidária.

O Brasil passa por um período difícil da sua história, uma ‘verdadeira tempestade’ que precisamos atravessar. Essa situação exige das lideranças, instituições, organizações civis, muita lucidez, ‘diálogo nacional’, ‘unidade na pluralidade’, coragem profética e apresentação de propostas em vista de superarmos os grandes desafios, em favor da vida, principalmente dos grupos socialmente mais vulneráveis e excluídos da sociedade. É preciso levantar a cabeça, a voz, não deixar morrer a profecia e a esperança colocando nossa confiança no Deus libertador que não deixa de socorrer o grito e o clamor do seu povo” (Dom Giovane de Melo; Presidente da Comissão Episcopal Pastoral para o Laicato).

Temos toda confiança que o laicato, pela graça e força do Batismo, tudo fará para superar os sinais de morte em nossos dias, pela intercessão de Nossa Senhora Aparecida, Mãe Medianeira de Todas as Graças, Senhora da Vida e Protetora do povo brasileiro.

Dom Hélio Adelar Rubert – Arcebispo de Santa Maria