Notícias › 23/04/2020

Diocese de Montenegro: Corresponsabilidade em tempos de pandemia

Diante das orientações das autoridades de saúde sobre os cuidados na prevenção da propagação do coronavírus, Dioceses de todo o Brasil tem anunciado medidas visando a diminuição das consequências desta pandemia, como a suspensão das atividades nas paróquias e das Missas com a presença dos fiéis por exemplo.

Na Diocese de Montenegro, algumas ações durante este período se destacam. Neste tempo, em que as pessoas estão recolhidas em suas casas, as Missas foram celebradas em favor do Povo de Deus, e em grande parte, transmitidas pelo rádio e pelas redes sociais. Outras iniciativas, como grupo de oração, espiritualidade de Taizé, Liturgia das Horas, lives sobre diversos aspectos da vida eclesial, foram realizadas. O Evangelho não deixou de ser pregado, anunciado. A vida de oração tem sido intensa em nossas famílias e nas paróquias.

A Diocese de Montenegro também procurou se organizar para enfrentar esta situação extraordinária. Por isso, dia 02 de abril, Dom Carlos convocou o Colégio de Consultores para conversar e dar encaminhamentos e orientação para a vida comum da Diocese e Paróquias.

O que ficou definido naquela reunião encaminhado na prática?

– Um diálogo permanente das paróquias com as autoridades municipais e sanitárias para a tomada de decisões;

– A autorização do uso dos salões paroquiais ou comunitários, quando solicitado pelas autoridades sanitárias, no caso de necessidade para o enfrentamento da pandemia;

– Que os seminaristas do Seminário Menor de Bom Princípio permaneçam no convívio de suas famílias enquanto não houver o retorno das aulas da rede estadual. Enquanto isso os formadores farão um acompanhamento dos seminaristas e das famílias;

– O Seminário Maior de Viamão, continua em funcionamento, com os seminaristas e formadores em quarentena, tendo aulas, pelo modo EAD, e continuando a vida comunitária, formativa e espiritual, mas não realizando a missão pastoral, nas paróquias;

– A Cúria Diocesana assumiu os pagamentos dos encargos sociais e dos serviços compartilhados com as paróquias. Assim, além das despesas normais de cada mês, de sua responsabilidade, a Cúria dá sua contribuição, para que as paróquias tenham condições administrar as despesas locais, como salários e manutenção;

– No espírito de colaboração, os padres renunciaram o recebimento da 50% da côngrua, e os padres aposentados, do recebimento de toda côngrua, para ajudar as paróquias e a Cúria, no pagamento dos salários dos funcionários e dos outros serviços essenciais;

– Também ficou definido a realização de pequenas reuniões, nas paróquias, com os cuidados de distanciamento, uso de álcool gel e máscaras, para pensar a vida paroquial, a catequese e o serviço de caridade. Em várias paróquias há um acompanhamento dos catequisandos, via internet, por parte dos catequistas. É importante lembrar as várias iniciativas na linha da caridade, uma vez, que muitos estão passando necessidades.

– Todas as decisões têm validade de um mês. Sendo assim, no final de abril, haverá outra reunião do Colégio de Consultores, para pensar o mês de maio.

“O importante é que possamos colaborar com a sociedade em vista do enfrentamento desta realidade difícil, sem deixar de testemunhar o Evangelho, tendo em vista que o caminho é longo”, destaca Dom Carlos.

Fonte: Diocese de Montenegro