Notícias › 08/07/2021

Equipe Missionária mantém Lar Vocacional em Moma, Moçambique

A casa, que acolhe desde 2009 os jovens para o discernimento vocacional, recebeu este ano o apoio das POM para manutenção e continuidade das ações

Foi o contexto de carência do clero diocesano na Arquidiocese de Nampula, no norte de Moçambique, que motivou a criação do Lar Vocacional pela equipe missionária de Moma, há 12 anos. O espaço, acompanhado sempre pela Equipe Missionária do Regional Sul 3 e por lideranças das paróquias de Micane e Larde, garante o estudo e o acompanhamento de jovens meninos que se sentem vocacionados ao Sacerdócio, com capacidade para acolher 10 jovens anualmente.

Na realidade do Distrito, a única escola Secundária (o correspondente ao Ensino Médio), está localizada na Vila de Moma, para atender a uma população de mais de 300 mil habitantes. Por isso, os jovens que desejam seguir o sacerdócio são acompanhados pelo animador do Ministério das Vocações em sua comunidade no interior e depois são encaminhados para viverem no Lar, onde permanecem freqüentando a escola regular para a continuidade dos estudos.

O Pe. Luiz Weber, que integra a equipe missionária do Rio Grande do Sul em Moma, explica que “o acompanhamento se dá por parte da Equipe Missionária no atendimento individual, orações coletivas, estudos e celebrações eucarísticas internas. Assim, é possível que os jovens façam uma caminhada de discernimento neste período”, ressalta ele. O missionário explica ainda que o acompanhamento busca garantir que completem o estudo e que possam escolher se desejam ingressar no seminário arquidiocesano ou em alguma congregação. Atualmente o Lar conta com 9 meninos que estão sendo acompanhados desde 2020, pois no ano passado as aulas foram interrompidas e os mesmos vocacionados voltaram ao Lar este ano para seguirem o acompanhamento.

As paróquias de São Miguel Arcanjo de Micane e São Paulo Apóstolo de Larde já contam com mais de 20 seminaristas nas diferentes etapas de formação e congregações. O seminarista diocesano Selemane Alfredo Amade viveu no Lar nos anos de 2012 e 2013 e atualmente está cursando o primeiro ano de Teologia em Maputo, a capital do país. Ele relata: “o Lar Vocacional foi muito importante para mim, é lá onde aprendi a viver e conviver com os outros, em comunidade, fora da minha família habitual, formando uma nova família em Cristo. Aprendi primeiramente no Lar a vida comunitária que me ajudou muito a inserir-me rapidamente aqui no Seminário e que a mesma vida será até mesmo enquanto sacerdote na paróquia e na diocese. No Lar também aprendi a relação com os outros, os estudos mais concentrados, a prática da oração, a ajuda mútua entre estranhos, a reavivar mais o dom da minha vocação. Em suma, é o primeiro lugar de encontro do vocacionado consigo mesmo, com os outros e com Cristo, é também um lugar de formação dos jovens de forma mais ampla, para serem mais humanos, mais cristãos e mais estudiosos. Por isso é um lugar muito importante para a vida dos jovens.”

O vocacionado Segunda Ussene Muataliwa vive atualmente no Lar e está cursando a 12ª classe, último ano da escola. Ele também partilha sua impressão sobre o tempo na casa: “Para mim é importante viver no Lar Vocacional porque é um lugar que eu posso encontrar o meu objetivo de ser padre e também aprender outros ensinamentos com a Equipe Missionária”, destaca o jovem.

Manutenção

A sustentabilidade do Lar Vocacional é garantida pelo Regional Sul 3 da CNBB, através da Coleta de Pentecostes e de doações particulares. Pela dificuldade de realização da Coleta no último ano, o Conselho Missionário do Rio Grande do Sul recorreu este ano a um projeto junto as Pontifícias Obras Missionárias, que atenderam prontamente ao pedido.

O repasse do projeto no valor de U$ 3000,00 possibilita a continuidade das ações neste ano de 2021 e a segurança de que o acompanhamento está garantido aos 9 jovens até o fim do ano, prevendo manutenção da casa, alimentação, ajudo para os estudos e transporte e outras despesas necessárias.