Artigos, Bispos › 24/06/2022

Exigência do Seguimento

Minha saudação fraterna a todos os que acompanham Voz da Diocese, especialmente as famílias no contexto do 10º Encontro Mundial das Famílias com o Papa Francisco refletindo sobre o tema: “amor em família: vocação e caminho de santidade”.

Caros irmãos e irmãs. Neste domingo, com a conclusão do Encontro Mundial das Famílias com o Papa encerra-se também o Ano “Amoris Laetitia” proclamado pelo Papa Francisco para recordar às famílias a sua importância na construção de uma sociedade alicerçada no amor, no diálogo, na paz e na alegria. Um verdadeiro convite para renovar a vida familiar de acordo com o projeto de Deus. Muitos temas foram refletidos neste ano justamente para ajudar os pais, mães e filhos a fortalecerem uma convivência saudável. Que a Sagrada Família de Nazaré continue intercedendo para que o amor em família, seja de fato, assumido como um caminho de santidade.

Na liturgia deste final de semana também somos convidados a colaborar com a ação de Deus na construção de um mundo justo e fraterno, pois para isso, Deus quer contar conosco.

Na primeira leitura, tirada do 2º Livro dos Reis, encontramos Eliseu que rompe totalmente com a vida passada para colocar-se generosamente à escuta e realização da vontade de Deus como colaborador da missão profética de Elias que foi instrumento para o seu chamamento. Deus usa de mediações para chamar seus colaboradores.

São Paulo fala aos Gálatas: “E para a liberdade que Cristo nos libertou”. Essa liberdade é conquistada na compreensão e identificação com o próprio Cristo que fez de sua vida uma entrega de amor, da mesma forma que entendemos o mandamento deixado por Ele: “Amarás o teu próximo como a ti mesmo” (Gl 5,14). Conduzidos pelo Espírito é que alcançamos a plena liberdade para viver este mandamento.

São Lucas, no texto do Evangelho, a partir do capítulo 9, versículo 51, mostra que Jesus, ao encerrar sua pregação na Galiléia, “toma a firme decisão de partir para Jerusalém e envia seus discípulos à frente” para preparar o caminho, mas eles encontraram rejeição por parte dos samaritanos. Com isso os discípulos se revoltaram contra estes e no diálogo com Jesus, expressam o desejo de castigá-los, mas Jesus os repreendem. Continuam a estrada e Jesus lhes mostra as exigências para o seu seguimento. Entre elas está a liberdade necessária para testemunhar o Reino de Deus. Deve ser um caminho marcado pela generosidade, pelo amor e entrega total de si mesmos. Cada um deve responder por si segundo as suas condições. Jesus ainda revela que segue para Jerusalém a fim de cumprir sua missão que termina na cruz. Os discípulos, estando com Jesus aprendem que o caminho a ser feito é árduo e exigente, pois seguir Cristo significa assumir a totalidade de sua entrega. Todos os que querem seguir Jesus como seus discípulos precisam abandonar o passado e olhar para frente com a disposição de doar-se por inteiro e numa disponibilidade total.

Prezados irmãos e irmãs. Assim como Eliseu rompeu com tudo para colocar-se a serviço do profeta Elias de forma incondicional, guiados pelo Espírito de Deus, somos chamados a nos tornar livres para viver a vida cristã, no seguimento a Jesus Cristo, num mundo que precisa de homens e mulheres capazes de testemunhar a libertação alcançada por Cristo a toda a humanidade. Portanto, que possamos, de fato, viver esta exigência do discipulado, seja no seio de nossas famílias, bem como, junto às comunidades em que estamos inseridos. O seguimento é exigente, mas vivido fielmente, conduz à santidade e à plena liberdade.

Deus abençoe a todos e um bom domingo.

Dom Adimir Antonio Mazali – Bispo Diocesano de Erexim