Artigos, Bispos › 07/02/2020

O velho sábio

Conta a lenda que um velho sábio, tido como mestre da paciência, era capaz de derrotar qualquer adversário.

Certa tarde, um homem, conhecido por sua total falta de escrúpulos, apareceu com a intenção de desafiar o mestre da paciência.

O velho sábio, sem julgar a intenção daquele homem desconhecido, aceitou o desafio e o homem começou a insultá-lo.

Chegou a jogar algumas pedras no velho sábio. Até cuspiu em sua direção e gritou todos os tipos de insultos.

Durante horas fez tudo para provocá-lo, mas o velho permaneceu impassível, calmo. No final da tarde, sentindo-se já exausto e humilhado, o homem se deu por vencido e retirou-se. Impressionados, os discípulos perguntaram ao mestre como ele pudera suportar tanta indignidade, falta de educação e respeito ao ser humano idoso.

O mestre perguntou:

– “Se alguém chega até você com um presente e você não o aceita, a quem pertence o presente?”

–  “A quem tentou entregá-lo”, respondeu um dos discípulos.

O sábio falou:

– “O mesmo vale para a inveja, a raiva e os insultos.

Quando não são aceitos, continuam pertencendo a quem os carregava consigo.

A sua paz interior depende exclusivamente de você.

As pessoas não podem lhe tirar a calma.

Só se você permitir”.

Que esta lenda ajude em nossa reflexão e em nossas atitudes quotidianas e relacionais.

A Palavra de Deus ilumina e incentiva a não julgar, a perdoar e a não revidar o mal com o mal, mas a amar, perdoar e fazer atos concretos de amor.

“Nisto meu Pai é glorificado; que deis muito fruto e vos torneis meus discípulos” (Jo 15,8).

Dom Hélio Adelar Rubert – Arcebispo de Santa Maria