Artigos, Bispos › 10/01/2020

O vocabulário da vida

Os meses de janeiro e fevereiro são próprios para o descanso, férias e organizar o novo ano. As reflexões abaixo, ou ditados extraídos da internet, nos ajudem no devido repouso e cultivo dos valores:

Adeus: É quando o coração que parte deixa a metade com quem fica.

Amigo: É alguém que fica para ajudar quando todo mundo se afasta.

Amor ao próximo: É quando o estranho passa a ser o amigo que ainda não abraçamos.

Evolução: É quando a gente está lá na frente e sente vontade de buscar quem ficou para trás.

Carinho: É quando a gente não encontra nenhuma palavra para expressar o que sente e fala com as mãos, colocando o afago em cada dedo.

Ciúme: É quando o coração fica apertado porque não confia em si mesmo.

Evangelho: É um livro que só se lê bem com o coração… (e com a vida).

Filhos: É quando Deus entrega uma jóia em nossas mãos e recomenda cuidá-la.

Entendimento: É quando um velhinho caminha devagar na nossa frente e a gente, estando apressado, não reclama.

Caridade: É quando a gente está com fome, só tem uma bolacha e reparte.

Lágrima: É quando o coração pede aos olhos que falem por ele.

Mágoa: É um espinho que a gente coloca no coração e se esquece de retirar.

Orgulho: É quando a gente é uma formiga e quer convencer os outros de que é um elefante.

Pessimismo: É quando a gente perde a capacidade de ver em cores.

Paz: É o prêmio de quem cumpre honestamente o dever.

Raiva: É quando colocamos uma muralha no caminho da paz.

Supérfluo: É quando a nossa sede precisa de um gole de água e a gente pede um rio inteiro.

Solidão: É quando estamos cercados por pessoas, mas o coração não vê ninguém por perto.

Sinceridade: É quando nos expressamos como se o outro estivesse do outro lado do espelho.

Feliz Ano Novo e Boas Férias!

Dom Hélio Adelar Rubert – Arcebispo de Santa Maria