Notícias › 27/08/2021

Observatório de Bioética debate saúde na primeira infância

Na tarde do dia 19 de agosto, o Observatório de Bioética da CNBB Sul 3 esteve reunido com a assessoria da Profa. Dra. Luísa Jardim Corrêa de Oliveira, docente da Universidade Católica de Pelotas (UCPel), no curso de Odontologia, no Mestrado Profissional em Saúde no Ciclo Vital e coordenadora do Programa de Extensão Atenção à saúde Materno Infantil  nos serviços de saúde da UCPel  e do Projeto de Extensão Atenção odontológica nos primeiros mil dias de vida.

Participaram do evento representantes de três províncias eclesiásticas.

Na acolhida, Dom Ricardo Hoepers, bispo da diocese do Rio Grande, fundador e coordenador do Observatório de Bioética, presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Vida e a Família da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e Diretor do Instituto Superior de Formação Humanística da UCPel, acolheu a todos e recordou que o Observatório nasceu “com o objetivo de unir as Instituições de Ensino Superior do Rio Grande do Sul que se interessam por Bioética”.  Atualmente o Observatório atua a partir de “três eixos: início de vida, final de vida e políticas públicas”.

A docente apresentou sua atividade extensionista a partir do tema “Extensão Universitária e Primeira Infância: sentir, pensar e agir para transformar a sociedade”. A atividade de extensão foi pensada a partir da concepção de Promoção de Saúde e, para tanto, acompanha os primeiros mil dias de vida do bebê. Este ciclo compreende a gestação e os primeiros dois anos. De acordo com a professora Luísa, esse ciclo é de fundamental importância para os desfechos em saúde, “é um intervalo considerado de ouro e que pode mudar o destino da criança, não apenas em termos biológicos, mas também em questões intelectuais e sociais”.

Na atividade, uma das formas de atrair as gestantes para o acompanhamento de caráter interdisciplinar, se deu por meio da produção de um book de fotografias. Fotografias realizadas pelo fotógrafo Lucas Daneris, parceiro do projeto e que estão em processo de organização para serem exibidas em exposição no Parque Tecnológico da cidade de Pelotas.

O projeto é desenvolvido em Unidades Básicas de Saúde, ambulatório de Obstetrícia, internação de Obstetrícia do Hospital Universitário de São Francisco de Paula (HUSFP) e na Casa da Gestante. A atuação acontece em diversas perspectivas, estimulando a autonomia para que participantes possam cuidar de si, educação popular, processo feito não para o povo, mas com o povo e vinculando a saúde bucal ao contexto geral da promoção de Saúde. No tocante à saúde bucal, a profissional afirma que já possuímos conhecimento suficiente para que as populações não sejam acometidas por cárie.

Na ocasião, a aluna Jaiane Freitas de Faria, participante do projeto resumiu a experiência de participar das atividades: “por mais que o projeto seja feito para a comunidade, que o maior benefício seja para a comunidade, mas que quem faz parte ganha tanto com isso, porque a gente se aproxima das pessoas, de diferentes pessoas, conhece realidades que, às vezes, nem passam pela nossa cabeça, e, […] talvez, a gente seja os que mais cresçam com isso, quando a gente se entrega de verdade ao projeto é uma coisa muito boa, eu me sinto realizada em fazer parte do projeto”.

Ao final, os Pe. Waldeir da Paixão Silva, secretário do Observatório, agradeceu a presença de todos e indicou a responsabilidade da Universidade Franciscana (UFN) para assessorar o próximo evento.

Prof. Dr. Enir Cigognini – Coordenador do Curso de Teologia da UCPel