Artigos, Bispos › 14/10/2022

Oração e Missão

Minha saudação a todos os irmãos e irmãs que acompanham a Voz da Diocese, neste 29º Domingo do Tempo Comum. No espírito do Ano Jubilar Missionário, elevemos nossas orações, de modo especial, na intenção da Igreja e sua missão de espalhar as sementes do Reino de Deus no mundo. A Missão Evangelizadora é a tarefa primordial da Igreja. E pelo batismo, todos somos missionários.

Prezados irmãos e irmãs. Tendo retomado nossas atividades neste período pós-pandemia, se assim podemos dizer, nos perguntamos: Como está nossa relação com Deus? Como está nossa participação na vida de nossas comunidades? Estas perguntas nos convidam a sair da comodidade de nossas casas para uma participação mais efetiva na vida eclesial, na qual e pela qual fortalecemos nossa relação com Deus e com os irmãos e irmãs, bem como, testemunhamos nossa fé como discípulos missionários de nosso Senhor Jesus Cristo.

A liturgia da Palavra, que ouviremos e meditaremos, neste final de semana, convida a um diálogo mais profundo e perseverante com Deus, para estreitarmos nossa comunhão com Ele. A oração é um diálogo com Deus; é elevar a mente e o coração até Ele; é uma conversa sincera, confiante e plena de amor para com Ele. Nesta relação com Deus fortalecemos nosso compromisso cristão, como anunciadores de Seu Projeto de amor para todos os que Nele crêem.

A Primeira Leitura apresenta o episódio de Moisés rezando em favor de seu povo, a caminho da Terra Prometida. Deus escuta sua oração e age em favor do mesmo. Mas vale lembrar que Deus conta com a ajuda do homem para realizar Seu Projeto de Libertação. São muitos os momentos que recorremos a Deus para pedir ajuda. É no diálogo insistente com Ele que encontramos a força necessária para vencer as “batalhas” de nossa vida cotidiana. Importante, também, é não esquecer de agradecer a Deus, pois se somos atendidos em nossos pedidos, também a oração é uma forma de agradecer os benefícios recebidos. Portanto, a oração é este diálogo para pedir e para agradecer.

A Segunda Leitura mostra a importância da Sagrada Escritura para nos indicar o caminho a seguir. Se a oração é um diálogo com Deus, a Sagrada Escritura é a Palavra pela qual Deus se manifesta a nós e, de certa forma, é a resposta às diversas situações de nossa vida. É a revelação da ação de Deus ao longo da história que nos ajuda a compreender a presença Dele na vida humana. Deus não é um Deus distante, mas Ele é presente, Ele caminha conosco; Ele é verdade que liberta; que anima; que encoraja e indica o sentido de nossa vida. A leitura nos ajuda a compreender a utilidade da Escritura. Esta é descrita na missão de “ensinar, persuadir, corrigir e formar” (2Tm 3,17). Convidando-nos assim, a permanecer fiel à verdade deixada por Jesus e transmitida pelos Apóstolos. A Segunda Leitura ressalta, ainda, a importância da Palavra de Deus como fonte inspiradora, que possibilita alcançar o “homem perfeito”.

Caríssimos irmãos e irmãs. O episódio da viúva insistente no pedido ao juiz para que lhe faça justiça, narrado no Evangelho, é um exemplo de que Deus não se esquece de Seu Povo e de suas angústias. Não fecha os olhos ao seu sofrimento. Ajuda-nos a entender que o amor de Deus manifesta Seu Projeto Salvífico para toda a humanidade. Porém, este Projeto só pode ser assimilado quando no diálogo com Deus e numa vida de intimidade com Ele através da oração permanente, ou seja, perseverando na oração, que é a melhor forma de acolher e entender o verdadeiro Projeto de Deus para nossa vida.

Sejamos anunciadores do amor de Deus e rezemos pela missão de toda a Igreja. Peçamos a graça de renovarmos o compromisso de uma vida perseverante na oração, na participação comunitária e na abertura para o encontro com Deus. “Deixemo-nos encontrar por Ele na oração diária” e colheremos os frutos de uma vida de fé e esperança.

Que Deus abençoe a todos e um bom  e abençoado Domingo!

Dom Adimir Antonio Mazali – Bispo Diocesano de Erexim