Artigos, Bispos › 08/04/2021

Os sinos vão tocar!

O badalar dos sinos sempre foi um meio de comunicação. Da forma como é tocado pode indicar festa ou luto, hora ou tempo litúrgico. Na noite da Vigília Pascal, no momento do cântico do Glória é tocado intensamente como anúncio da Ressurreição de Jesus Cristo, manifestando a alegria da vitória sobre a morte e o triunfo do amor misericordioso de Deus.Bem diferente da melodia quando anuncia o falecimento de alguém.

Neste Domingo, dia 11 de abril, para os católicos “domingo da misericórdia”, somos convidados pelo Conselho Permanente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, a fazermos o simples gesto de tocarmos os sinos em todas as Igrejas das comunidades católicas espalhadas pelo Brasil, todos no mesmo horário das 15 horas, em sinal de esperança, fé e solidariedade diante das mortes pela Covid-19, das famílias impedidas de vivenciar o luto, do esforço dispendido pelos profissionais da saúde e do desejo dos brasileiros quanto à superação da pandemia.

Nós podemos fazer a mesma experiência dos discípulos de Jesus? “Ao entardecer deste dia, o primeiro da semana, os discípulos estavam com as portas bem fechadas, por medo dos judeus. Jesus chegou, pôs-se no meio e lhes disse: A paz esteja convosco!… Os discípulos se alegraram por ver o Senhor” (Jo 20, 19-20).

Devemos reconhecer, que todos nos sentimos um tanto trancados, constrangidos, com receio de sair para a rua, de visitar pessoas queridas, de abraçar nossos irmãos e irmãs, de consolar gente querida que perderam algum familiar. A consciência que Jesus Ressuscitou e está no meio de nós, ajuda-nos a manter viva a esperança e, também, a alegrar-nos com a boa notícia que a vacina capaz de imunizar a todos já está no meio de nós, ao nosso alcance. É só questão de tempo.

Se não formos resistentes a crer como Tomé, que não quis aceitar o testemunho dos colegas que lhe disseram: “Vimos o Senhor!”, se acolhemos a Boa Notícia do anjo às mulheres que foram ao sepulcro: “Aquele que procurais não está aqui, ressuscitou!”, mesmo em meio a situações de morte, dor e sofrimento, podemos experimentar a paz oferecida pelo Senhor: “A paz esteja convosco!” e a bem-aventurança: “Felizes os que creem sem ter visto”.

Portanto, ao ouvir o balar dos sinos, neste Domingo, possamos elevar nossos olhos aos céus e num instante de lucidez fazer comunhão com os que nos precederam na feliz eternidade, chorar com os que choram a perda de seus entes queridos ou padecem nos hospitais e elevar um grito de súplica ao Deus Altíssimo que nos liberte desse mal da pandemia e de todos os outros males que ameaçam nossa humanidade e, em particular, nosso Brasil.

Para refletir: Como a fé na ressurreição ajuda a dar um sentido ao sofrimento humano? O pode me tirar a alegria de viver e paz do coração? Como posso ajudar as pessoas a superarem o desânimo das perdas e o medo dos males que ameaçam minha vida e dos meus irmãos?

Textos bíblicos: At 4, 32-35; 1Jo 5,1-6; Jo 20, 19-31; Sl 117, 2-4.

Dom Jaime Pedro Kohl – Bispo de Osório