Artigos, Bispos › 04/09/2021

Pois todos vós sois um em Cristo Jesus

O Mês da Bíblia, iniciativa da Igreja Católica, neste ano completa 50 anos, está fazendo bodas de ouro. O livro da Sagrada Escritura escolhido para estudo e aprofundamento é a carta de São Paulo aos Gálatas, com o tema: “Pois todos vós sois um em Cristo Jesus”. Como podem perceber está em sintonia e continuidade da reflexão da Campanha da Fraternidade e também da mensagem do papa Francisco para o Dia mundial das Comunicações. É um forte apelo à unidade da comunidade.

Para entender a força e a riqueza de mensagem que carrega esse tema é de estrema importância conhecer o contexto e a situação das comunidades da Galácia fundadas por Paulo nas suas incursões missionárias. A partir do anuncio de Jesus Cristo crucificado e ressuscitado nasceram as comunidadescristãs – discípulos missionários de Jesus – marcadas por um espírito de unidade, igualdade e liberdade resultante da tomada de consciência que todos foram redimidos pelo sangue de Cristo Jesus, derrubando o muro de separação entre judeus e pagãos, entre escravos e livres.

Duma leitura simples e atenta se percebe o esforço do apostolo Paulo de manter fidelidade ao Evangelho. O conflito consistia no embate entre judaizantes radicais que defendiam a ideia quepara salvar-seé necessária praticar a Lei de Moises – inclusive a circuncisão –e as comunidades paulinas que acreditavam que a salvação vem da fé em Cristo Jesus crucificado. Conflito que foi objeto de discernimento no concilio de Jerusalém.

O amor que Paulo nutre pelos gálatas é perceptível e também o reciproco é verdadeiro.  Fica indignado quando vacilam na fé: “que mutilem de uma vez aqueles que estão perturbando vocês” (5,12).E a disposição deles com o apóstolo: “Se fosse possível, vocês arrancariam vossos olhos e os dariam a mim” (4.15).

Há muita emoção e afeto entre o pastor e suas ovelhas. É bonito perceber como a Palavra foi se difundindo e contagiando as culturas dos povos onde era anunciada. A missão é sempre um misto de alegria e dor, de exultação e decepção. Continuamente precisa reanimar e renovar a esperança para não deixar apagar a chama que ainda fumega.

O momento que vivemos de pós-pandemia traz consigo um pouco essa sensação, como se fosse um cheiro de mofo que precisa ser purificado, deixando o sol e o bom ar entrar para iluminar e tornar saudável. Como diz o canto: “Deixe a luz do céu entrar, abre bem as portas do teu coração e deixe a luz do céu entrar!” Ou como canta o salmista: “Tua Palavra é lâmpada para os meus pés, é luz para o meu caminho” (Sl 191).

Sugiro uma leitura calma e atenta desse texto sagrado do Novo Testamento, de preferência em família, nestemês. Se alguém preferir acompanhar as leituras do dia especialmente do Evangelho também fica bem e pode fazer muito bem. Ajuda dar um lugar visível a BÍBLIA em nossa casa lembrando o seu poder salvador quando acolhida na fé.

Para refletir: Como é o meu conhecimento da Sagrada Escritura? Costumo frequentá-la? Alimento minha espiritualidade nela? É a Bíblia minha fonte de inspiração? Procuro providenciar para que cada membro de minha família tenha sua bíblia? Tenho o hábito de ler e meditar a Sagrada Escritura?

Textos bíblicos: Is 35,4-7; Tg 2,1-5; Mc 7,31-37; Sl 145 (146).

Dom Jaime Pedro Kohl – Bispo de Osório