Artigos, Bispos › 05/02/2020

Sal e luz

Todos, sabemos da importância do “sal” e da “luz” para a vida.  É próprio do “sal” dar sabor e da “luz” iluminar.

O que Jesus quer dizer quando pede aos seus discípulos para serem “sal da terra” e “luz do mundo”?

Sempre que ouço esse texto, lembro o canto do Pe. Zezinho: “Vós sois o sal da terra, vos sois a luz do mundo, ninguém mais quer o sal quando ele perde o seu sabor; o sal e luz sou eu, sou o povo do Senhor”.

Jesus usou estas duas imagens do cotidiano para falar da identidade e da missão dos seus seguidores. Mas qual a condição para ser sal e luz? Confiar em Deus e praticar a justiça.

O profeta Isaías traduz com estas palavras: “Reparte o pão com o faminto, acolhe em casa os pobres e peregrinos. Quando encontrares um nu cobre-o e não desprezes a tua carne. Então, brilhará tua luz como a aurora e tua saúde há de recuperar-se mais depressa; a frente caminhará tua justiça e a glória do Senhor te seguirá…

Quando Jesus diz: “vós sois” refere-se à comunidade dos discípulos. A condição para ser “sal que dá sabor a vida do mundo e luz que ilumina a humanidade” é a pratica da justiça e da caridade: acolher o indigente, socorrer o necessitado, dar de comer a quem tem fome, vestir o que está nu…

A justiça é condição para aproximar-nos de Deus. É o primeiro culto que Deus deseja. Nenhum outro culto é aceito por Deus se não vier de um coração reto e honesto.

A mentira e a injustiça não combinam com Deus. Somente quem caminha na justiça e confia em Deus, seu coração está tranqüilo e nada teme.

Deus acolhe e valoriza o culto prestado com o testemunho de vida, com as boas obras: “brilhe a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e louvem o vosso Pai que está nos céus”.

Para que possamos ser sal que dá sabor e luz que ilumina precisamos manter-nos fiéis a nossa vocação cristã.

Se perdemos a nossa identidade não serviremos para mais nada, senão para sermos jogados fora e pisados pelos homens.

Não é isso que queremos para nós e nossas comunidades!

Daí a necessidade de manter-nos conectadas à fonte pura genuína da vida que é Jesus. Assim vivendo estaremos dando glórias ao nosso Pai que está nos céus.

Somos todos chamados a ser sal da terra e luz do mundo!

Para refletir:

– Consigo perceber que o meu estilo de vida pode tanto edificar como escandalizar os irmãos?

– Sou de bom exemplo para as pessoas que encontro no caminho?

– A minha presença costuma ser motivo de serenidade e alegria ou tensão?

Textos Bíblicos: Is 58, 7-10; Mt 5, 13-16; Sl 111(112).

Dom Jaime Pedro Kohl – Bispo de Osório