Artigos, Bispos › 06/10/2021

Um olhar que convida

Várias são as formas de olhar e através delas podemos manifestar vários sentimentos e atitudes, até contrapostos: amor e ódio; alegria e tristeza; bondade e maldade…

O olhar de Jesus é um olhar que convida. São vários os textos do Evangelho nos quais podemos perceber isso. Jesus, caminhando à beira do lago da Galileia, viu (olhou) Simão e André, olhou para eles e disse: segui-me e farei de vós pescadores de homens (cf Mc 1,16). Ao passar, Jesus viu (olhou) um homem chamado Mateus, sentado na coletoria de impostos e o convida: “Vem e segue-me” (cf Mt 9,9 ).

No Evangelho deste domingo, Marcos 10, percebemos como Jesus se comunica pelo olhar. Enquanto Jesus caminhava, alguém correu ao seu encontro – para Mateus um jovem – ajoelhou-se e perguntou: “o que precisa fazer para ganhar a vida eterna?” Depois de perguntar sobre sua prática e vendo que era uma pessoa boa, “Jesus olhou para ele com amor e disse: só uma coisa te falta: vai vende tudo o que tens e dá aos pobres, e terás um tesouro no céu. Depois, vem e segue-me” (v, 21). Aquele jeito: ‘olho no olho’ e com amor, um olhar convidativo, um chamado a entrar para o discipulado.

Infelizmente, o resultado parece não ter sido muito eficaz, porque a resposta do jovem foi negativa e saiu triste porque seu coração estava preso aos bens materiais que possuía. Contudo a mensagem é clara: Jesus olha para todos com amor e a todos convida a entrar para o Reino de Deus, que é um Reino de justiça, paz e amor. Caminho de vida eterna. Jesus convida e espera uma resposta na liberdade.

Seguindo o mesmo texto, no v. 23, lemos: “Jesus olhou aos discípulos que estavam em volta dele e disse: “como é difícil para os ricos entrar no Reino de Deus”. Parece de ver aquele olhar que fala por si: Vejam! Escutem! Percebam! E fala do perigo do apego aos bens e o desastre que pode causar. Fica claro que o sentido da vida não vem das coisas materiais, do ter, poder e prazer, mas do desapego de tudo isso, centrando a vida no seguimento de Jesus.

Deixar contagiar o nosso olhar com olhar de Jesus é condição para poder fazer com que o nosso coração queira ‘olhar como Jesus’. Isso nos lembra a parábola do bom samaritano, as duas formas de olhar: o olhar de quem vê e passa adiante e o olhar de quem vê, se compadece e cuida, curando as feridas. Quem se deixa olhar por Jesus, o missionário do Pai, não ficará indiferente ao convite a ser discípulo missionário.

Para refletir: Como é o meu olhar? Como olho para as pessoas? Será que, sem querer, não estou fazendo acepção de pessoas, elegendo umas e excluindo outras? Deixo-me olhar – olho no olho – por Jesus? O meu olhar se parece com o olhar de Jesus?

Textos bíblicos: Sab 7,7-11; Hb 4, 12-13; Mc 10, 17-30; Sl 89(90).

Dom Jaime Pedro Kohl – Bispo de Osório