Artigos, Bispos › 13/08/2019

Visita Pastoral 2019

Neste segundo semestre de 2019 realizarei, juntamente com a Coordenação de Pastoral, uma Visita Pastoral a todas as paróquias da Diocese de Cruz Alta. Nos anos de 2016 a 2018, tivemos a alegria de visitar todas as 32 paróquias, totalizando 555 comunidades. Foi um momento muito significativo para nossa caminhada pastoral diocesana. Agora, como havia prometido, estaremos retornando, somente na matriz de cada paróquia, para um encontro com todas as lideranças da Paróquia.

Na conclusão da Visita Pastoral, escrevi uma Carta Pastoral intitulada Adultos na Fé (17 de dezembro de 2018). Nela quis recolher, numa visão geral, a identidade eclesial de nossa Diocese. A Carta Pastoral foi para devolver uma palavra para toda Diocese desta visita, das missões realizadas, da acolhida, do esforço de sermos Igreja de discípulos missionários, a caminho da maturidade da fé. Mas, sobretudo, foi para todos “sentir juntos” algumas preocupações, como a transmissão da fé cristã, e muitas alegrias, como o número de leigos e leigas servidores em nossas comunidades. Deixei também alguns pedidos e orientações pastorais e administrativas. A Carta percorreu os seguintes pontos: a) Uma descrição geral da visita pastoral na Diocese; b) O olhar sobre a realidade social e eclesial da Diocese, com uma palavra de gratidão pela rica história que os que nos antecederam nos deixaram, bem como o principal desafio que hoje temos, a crise de fé e suas consequências; c) O terceiro ponto é o mais importante, pois nele procuro apresentar a iniciação à vida cristã como o grande desafio para nos levar a viver uma fé madura. Todas as pastorais, movimentos e serviços eclesiais devem ter este olhar como um horizonte norteador: formar discípulos missionários de Jesus Cristo.; d) No quarto ponto desenvolvo a compreensão da ministerialidade e sinodalidade eclesiais. Isto é, o desejo de sermos uma Diocese que caminha na comunhão, uma “Igreja viva”. Para isto, a necessidade de cultivarmos todas as vocações, a partir do batismo e da vivência na comunidade de fé.; e) Enfim, no último ponto apresento a espiritualidade dos discípulos missionários, destacando que o sentido da missão da Igreja é o seguimento de Jesus Cristo. Devemos formar pessoas que buscam a santidade, como nos falou Paulo: “Continuo correndo para conquistá-lo, porque eu também fui conquistado por Jesus Cristo” (Fl 3,12).

Agora, à luz desta Carta Pastoral temos um novo olhar, a partir das novas Diretrizes Gerais para a Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil (2019-2023), desafiados com o mundo urbano, onde se acentuam a ideia de “comunidades eclesiais missionárias”, a partir da metáfora da “casa”, com 4 pilares: a Palavra, o Pão, a Caridade e a Missão. Queremos caminhar na comunhão, como Igreja diocesana, com a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e com nosso Papa Francisco. É bom salientar, mais uma vez, que em cada comunidade, cada paróquia, a Igreja se torna presente. A Igreja está aí, não toda a Igreja, mas tudo o que constitui a Igreja. Formamos uma unidade, como Povo de Deus, na comunhão com a Trindade Santa. Mesmo naquelas comunidades mais distantes da sede da Diocese, com poucos moradores, a Igreja está lá, pois o que a constitui não é uma realidade material somente, mas nossa fé, com suas estruturas eclesiais.

***********

No dia da Assunção da Virgem Maria ao céu, em nossa Diocese realizamos o lançamento da 68ª Romaria ao Santuário Diocesano de Nossa Senhora de Fátima, que neste ano será no dia 13 de outubro.

Saúdo e parabenizo nossos religiosos e religiosas pela passagem de seu dia, 18 de agosto.

Dom Adelar Baruffi

Bispo Diocesano de Cruz Alta