WEBMAIL

A Transfiguração do Senhor

Celebramos no próximo Domingo a Festa da Transfiguração do Senhor.

O texto do Evangelho da Transfiguração do Senhor (Mateus 17:1-9), relata um evento significativo na vida de Jesus, no qual ele se manifestou em sua glória divina diante de três de seus discípulos mais próximos: Pedro, Tiago e João. A transfiguração é um momento especial em que a verdadeira natureza divina de Jesus é revelada de forma marcante.

O texto do Evangelho começa com Jesus levando os três discípulos a uma montanha alta e isolada. A montanha é frequentemente associada à presença de Deus na tradição judaica, e o ato de Jesus subir a montanha sugere um momento de comunhão íntima com Deus. Jesus vai à montanha rezar e para revelar algo importante. Aprendemos de Jesus a importância de buscarmos sempre a Deus, nosso Pai, na oração. A cada dia, Deus nos espera na montanha, para escutar-nos e para falar conosco.

Quando chegaram ao topo da montanha, Jesus foi transfigurado diante dos olhos dos discípulos: “O seu rosto brilhou como o sol e as suas vestes tornaram-se brancas como a luz.” (Mateus 17:2). Essa transformação foi uma revelação momentânea de sua glória divina. A presença de Moisés e Elias, dois importantes personagens do Antigo Testamento, um que recebeu diretamente de Deus a Lei, os Mandamentos, o outro, um dos profetas que anunciaram a vinda do Messias, simbolizam a continuidade e o cumprimento da Lei e dos Profetas na pessoa de Jesus.

Olhando para Jesus transfigurado, nós olhamos como para um espelho. Quando estamos em estado de Graça santificante, sem o pecado, Jesus brilha em nós e assim, nós o revelamos ao mundo. Pelo pecado, que nos separa de Deus e dos irmãos, nós nos desfiguramos… apagamos a imagem viva de Jesus gravada em nós pelo Batismo.

Pedro, emocionado com o que estava testemunhando, sugeriu a construção de três tendas, uma para Jesus, uma para Moisés e outra para Elias. Essa reação mostra que Pedro não compreendeu totalmente o significado do evento. Enquanto ele ainda estava falando, uma nuvem luminosa os cobriu, e uma voz vinda da nuvem disse: “Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo; escutai-o.” Essa voz é a de Deus Pai, ratificando a identidade divina de Jesus e enfatizando a importância de ouvi-lo e segui-lo. Hoje, somos nós que a cada dia, escutamos este chamado do Pai: ouvi sempre a Jesus! Em todas as circunstâncias de nossa vida.

Antes de descerem da montanha, Jesus advertiu os discípulos para não contar a ninguém o que haviam visto até que o Filho do Homem ressuscitasse dos mortos. Essa instrução sugere que a verdadeira compreensão do evento só seria alcançada plenamente após a ressurreição de Jesus, quando a totalidade de seu mistério e missão seria revelada. Hoje, cada um de nós é anunciador desta verdade: Jesus transfigurado é aquele que entregou por nós sua vida e ressuscitou glorioso dos mortos. É preciso escutá-lo!

Em resumo, no que se refere a Jesus, a Transfiguração foi um momento de revelação especial, onde Jesus manifestou sua verdadeira natureza divina, confirmou sua missão e preparou seus discípulos para os eventos que se seguiriam. Além disso, esse evento apontou para a futura glória de Jesus e sua ressurreição, estabelecendo a base para a compreensão mais profunda de sua identidade e missão.

No que se refere a nós, cristãos de hoje, a Transfiguração do Senhor revela a imensa Graça que, pelo Batismo, nós recebemos. Pois no céu, na vida eterna, viveremos também transfigurados em Cristo.

A graça que recebemos no Batismo nos configura a Cristo, para que Ele se transfigure em nós e se revele ao mundo através de nossa vida.

Dom Antonio Carlos Rossi Keller – Bispo de Frederico Westphalen