WEBMAIL

Advento – Preparação do Natal

Estamos novamente no belo tempo de preparação do santo Natal. Esse tempo que antecede a festa da Encarnação do Senhor é chamado pela Igreja com o termo: Advento. Ele abrange as quatro semanas que antecedem a celebração do nascimento de Jesus, sempre em data fixa: 25 de dezembro.

O conteúdo teológico-litúrgico dessa preparação contém dupla dimensão de esperança: Preparação para o nascimento de Jesus Cristo e espera pelo Senhor na parusia (fim dos tempos). Afirmam as Normas Universais sobre o Ano Litúrgico e o Calendário da reforma do Concílio Vaticano II: “O tempo do Advento possui dupla característica: sendo um tempo de preparação para as solenidades do Natal, em que se comemora a primeira vinda do Filho de Deus entre os homens, é também um tempo em que, por meio desta lembrança, voltam-se os corações para a expectativa da segunda vinda do Cristo no fim dos tempos. Por este duplo motivo, o Tempo do Advento se apresenta como um tempo de piedosa e alegre expectativa” (Missal Romano – NUALC 39). Essas características se misturam, ora acentuando-se mais a um, ora mais a outro aspecto.

O Advento é, pois, tempo de espera, de vigilância, de atenção e cuidado. Por estas características, percebemos que esse tempo litúrgico traz consigo algo da experiência própria de uma mulher grávida, que espera e se prepara em vista do nascimento de seu filho, em progressiva gestação. Ainda não é Natal, mas a Criança, em breve tempo, nascerá. A liturgia define oficialmente o Advento como “tempo de feliz e piedosa expectativa”. O tema da esperança cristã é fascinante; dá um sabor especial à nossa vida. Aliás, só ela dá o verdadeiro sentido ao nosso viver, pois somos seres em realização. Somos inquietos e abertos, projetando-nos constantemente diante de nós mesmos, para o futuro, para a plenitude. Nosso coração estará inquieto até que descanse em Deus (cf. S. Agostinho), pois fomos criados para sermos à Sua imagem e semelhança. O Advento ainda é promessa; o Natal já é a realidade do Deus conosco (Emanuel). O Advento é, portanto, período de serena e silenciosa expectativa: preparação para o nascimento de Jesus Cristo, o Filho de Deus entre nós.

Quando João Batista apresenta Jesus como o Cordeiro de Deus, Aquele que tira o pecado do mundo (cf. Jo 1, 29), o Precursor convida todos à conversão de vida: “Preparai o caminho do Senhor, endireitai as suas veredas” (Mt 3, 3). É o que hoje cada cristão, cada família, cada comunidade e toda a Igreja procuram vivenciar pela escuta da Palavra de Deus, pela oração, pela participação na liturgia da Igreja, pela prática da solidariedade, por atitudes que revelam conversão para os valores do Evangelho, que Jesus veio anunciar.

Caros diocesanos. O tempo do Advento seja mais do que preocupar-nos com presentes de Natal ou festas de fim de ano. Vivamos o tempo da Igreja grávida, aquela que se prepara a fim de gerar o Senhor da Vida; Aquele que dá novo sentido ao nosso viver. Se nos sentimos pequenos demais para preparar os caminhos do Senhor, inspiremo-nos em Maria Santíssima, Mãe de Jesus e nossa, que, no dizer do Papa Francisco, “É aquela que sabe transformar um curral de animais na casa de Jesus, com uns pobres paninhos e uma montanha de ternura… Como Mãe de todos é sinal de esperança para os povos que sofrem as dores do parto até que germine a justiça” (EG 286).

Desejamos frutuoso Advento, tempo que nos ajude a preparar um santo Natal!

Dom Aloísio Alberto Dilli – Bispo de Santa Cruz do Sul