WEBMAIL

Alegrai-vos sempre no Senhor

O convite à alegria e à felicidade é proclamado por São Paulo no trecho de sua Carta aos Tessalonicenses, que é a 2a Leitura de hoje: “Estai sempre alegres, orai sem cessar” (1ª Tessalonicenses 5,16-17).

Este chamado à alegria ecoa neste Domingo do Advento, conhecido como “Domingo Gaudete”. É um convite à celebração da verdadeira alegria, presente na liturgia. A alegria genuína, conforme nos ensina o apóstolo, não se encontra em posses materiais passageiras ou prazeres temporários, mas sim em ir ao encontro do Senhor que vem. É importante salientar este aspecto: a iniciativa é sempre de Deus. É Ele quem vem em busca do homem decaído no pecado. E vem para salvá-lo.

Esta é a razão de nossa alegria.

A alegria cristã não é efêmera; ela é uma realidade sólida e duradoura, resultante do encontro com o Senhor que está por vir. Esta alegria é um sinal da presença do Espírito de Deus em nossos corações. São Paulo nos exorta não apenas à alegria, mas também a orar sem cessar. A oração enriquece nossa vida interior, abre-nos para os dons do Espírito e fortalece a vida da comunidade cristã.

Encontramos a verdadeira fonte de alegria em Deus, mesmo quando a vida não segue como desejamos. É Ele quem nos oferece a base para a nossa fé, para a nossa esperança e para o exercício da caridade. Assim como ouvimos o profeta Isaías (Isaías 61,1-2.10-11) proclamar a boa notícia da salvação na 1a Leitura de hoje, nós também podemos encontrar alegria mesmo em meio às dificuldades, confiando na promessa divina de restauração e de paz.

Da mesma forma como João Batista (João 1,6-8.19-28) foi uma voz no deserto preparando o caminho para o Senhor, somos nós hoje chamados a ouvir e a ver o testemunho que nos é dado e principalmente a oferecê-lo ao mundo. João anunciava a vinda do Messias e instava à conversão. Da mesma forma, somos desafiados hoje a nos converter, a reconhecer a presença do Senhor em nossas vidas e a anunciá-lo aos nossos irmãos.

A verdadeira alegria cristã não é apenas para nosso próprio benefício, mas é para ser compartilhada com os outros. Quanto mais compartilhamos essa alegria, mais ela se multiplica. É um convite a sermos portadores da esperança e da alegria, irradiando a presença do Senhor em nosso viver diário.

Preparemo-nos bem para o Natal!

Cultivemos a alegria que deriva do perdão de Deus no Sacramento da Reconciliação e da Penitência. Aprendamos a ganhar a alegria que não passa, através do exercício da caridade para com aqueles que hoje, são os mais necessitados de atenção, de compreensão e de amor.

Saibamos ir ao encontro do Senhor que vem ao nosso encontro.

Quem não for capaz de encontrar a Cristo em seus irmãos mais necessitados, jamais o encontrará plenamente em sua vida.

Dom Antonio Carlos Rossi Keller – Bispo de Frederico Westphalen